quinta-feira, 29 de setembro de 2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

A Análise da 6ª jornada- arbitragem

FCPorto- 2
Benfica- 2

Mesmo tendo sido um jogo que acabou por não ter os habituais lances nas áreas, sempre polémicos e difíceis para os árbitros, acabou por ser um jogo com muitas decisões difíceis.

Perto do intervalo, um lance complicado. Fucile envolve-se com Cardozo e os dragões pedem expulsão para o Paraguaio. Efectivamente Cardozo dá um chega para lá em Fucile com o pé, mas não me parece caso para expulsar o jogador do Benfica. Bem mostrado o amarelo a ambos. No caso de Cardozo, pelo toque antidesportivo. No caso do Uruguaio, pela ridícula simulação.

No geral os amarelos foram bem mostrados. Os golos foram regulares. Bem anulado o golo de Saviola. Resultado correcto. Um ponto para cada lado.
Na minha opinião a melhor arbitragem desta época.



Sporting- 3
V. Setúbal- 0

Vitória correcta do Sporting. Apenas 2 lances a analisar. Uma bola mal reposta por Patrício, que acaba por tocar no braço do jogador sadino. O árbitro erradamente nada marcou. Já na 2ª parte, o mesmo jogador sadino pede penalty por suposto toque de um defesa leonino. Não se vislumbra falta. Vitória correcta do Sporting.

Em Roma sê Romano...

Sempre que possível, o Benfica deve jogar bom futebol, até porque, tem jogadores para tal. Mas por vezes, nem sempre é possível, umas vezes porque a inspiração não aparece, outras vezes porque o adversário não deixa.
Foi exactamente o que aconteceu, hoje, em Bucareste.
A equipa dos Galáti(cos), é essencialmente uma equipa de contra-ataque, que tenta em todos os lances impor o físico, que fecha todos os espaços com todos os jogadores atrás da bola.
O Benfica entrou muito bem, muito rápido, com trocas de bola constantes e melhor que tudo, a tentar ganhar claramente o jogo. Mas o adversário criou todas as dificuldades de que se lembrou, fazendo lembrar um jogo da nossa liga.
Isto não significa que o Benfica tenha mudado o seu modelo de jogo. Apenas moldou-se ao adversário e às características do mesmo.
No 11 inicial, apareceu Saviola a fazer de Aimar e na esquerda Bruno César e substituir Nolito. Witsel jogou mais à frente do que o habitual e foi de alguma forma, o joker deste jogo.


Mais uma vez o Benfica não teve capacidade para fechar o jogo e voltou a sofrer sem necessidade tal como já tinha acontecido em Barcelos, na Choupana e em quase todos os jogos em casa para o campeonato.
A minha análise de cada um dos intervenientes:

Artur- Sempre seguro. Nas saídas, pelo ar, pelo chão. Quando acha que é melhor não agarrar, limita-se a socar. Só fez 2 defesas no jogo mas no final segura o empate e garante os 800 mil euros.

Luisão- O patrão voltou a ser decisivo. Sempre no lugar certo, sempre a comandar.

Garay- Já sabemos que com Luisão, qualquer jogador joga bem. A excepção é mesmo Jardel. Mas Garay tem combinado tão bem com o colega de posição que esta dupla pode superar a anterior,que Luisão fez com David Luiz.

Maxi- Menos atrevido que o costume, mas sempre lutador quando foi preciso.

Emerson- A defender é muito forte. E como está confiante, vai subindo cada vez com mais qualidade. A defender é superior a Coentrão

Javi- Como um relógio. E desta vez, sem o habitual apoio do belga.

Witsel- Hoje jogou mais subido. Ganhou muitas bolas na garra. E pautou o jogo do Benfica.

Gaitán- Mais um passe para golo verdadeiramente soberbo. Bom jogo.

Bruno César- Tem faro pelo golo. E voltou a facturar. Tem pormenores deliciosos tal como Gaitán, mas ao contrário do argentino, é muito mais forte. Excelente decisão de Jesus em colocar o brasileiro em campo. Neste jogo era preciso meter um homem forte.


Saviola- Jogou melhor do que em jogos anteriores. Teve boas arrancadas e mexeu muito com a equipa. Estoirou muito cedo.

Cardozo- Ganhou muitas bolas pelo ar e foi servindo os colegas. Esteve esforçado mas esteve longe de facturar.

Nolito- Entrou mas não conseguiu mexer com o jogo.

Rubem Amorim- Entrou para segurar o jogo nos minutos finais, mas não apareceu.

Rodrigo- Entrou para tentar fechar o jogo. Teve um belo remate em que quase facturou. Podia jogar mais, pois tem talento.

Jorge Jesus- Acertou em cheio no 11 inicial. Falhou completamente nas substituições. No caso de Nolito, não terá muita culpa, pois todos esperávamos que Nolito voltasse a fazer das suas. Nas restantes substituições, não percebi o que JJ queria. Meteu um jogador para segurar o resultado e outro para atacar.

No geral o Benfica esteve bem se bem que mais uma vez pecou na finalização e perdeu algumas bolas onde poderia ter construído mais jogadas de perigo. Jesus montou a equipa certa, e montou-a de forma a encaixar no adversário, potenciando as qualidades dos encarnados e anulando as virtudes do oponente.

800 mil euros para cá se faz favor.

domingo, 25 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Fucile tem que treinar melhor estes lances


Análise do tribunal do "Jogo" ao lance que envolveu Fucile e Cardozo, ao minuto 42. Na altura ambos os jogadores foram punidos com cartão amarelo.

 
Jorge Coroado:
"Cardozo não cometeu qualquer infracção, Fucile simulou ter sido atingido. A salomónica decisão foi conveniente, mas deveria ser só para o portista."

Pedro Henriques:
"Cardozo e Fucile são advertidos correctamente por comportamento antidesportivo, pela forma como disputaram e reagiram na disputa de bola."

Paulo Paraty:
"Cardozo é advertido pela imprudência da sua entrada, que não foi punida tecnicamente, e Fucile vê amarelo por simular ter sido agredido."

Descer ao inferno.... e sair sem se queimar!!!

O Benfica passou o teste "bolas de golfe" com sobriedade.
Mostrou personalidade, rigor, muito rigor, coragem e qualidade. E sobretudo, demostrou ter noção da realidade e respeito pela qualidade do adversário. Que a tem...mas que definitivamente...não é maior que a nossa.
Na 1ª parte, o FC Porto foi superior. Controlou a bola, a maior parte do tempo, embora também por aí passasse a estratégia de Jesus.
Jesus, essencialmente não mudou o modelo. Apenas desceu um pouco a equipa, no campo. O adversário, a isso obrigava.
Como dizia, na 1ª parte o Benfica entregou o jogo, mas demonstrou qualidade a defender e a ocupar e esconder os espaços. O dono da casa, teve nos 1ºs 45 minutos, 2 lances de golo, apenas. O 1º lance, foi de Fucile, mas Artur esteve sublime ao evitar o golo, no 2º lance foi o golo de Kleber. Na 2ª parte a história foi totalmente diferente.
Jesus falou com os jogadores ao intervalo. E o Benfica dominou a maioria do tempo, na 2ª parte.
Foi para cima e a verdade é que não demorou muito a empatar. Mas também não demorou nada a sofrer o 2-1.
Nos minutos que se seguiram, o Benfica procurou claramente o golo. E conseguiu, aos 82', num belo lance de Saviola, que lançou um passe mortal para Gaitán fucilar, perdoem-me a piada, fuzilar Hélton e fazer o empate justo.

No Benfica destacaria Artur, porque ficou clara, a importância decisiva de ter um guarda-redes a sério. Sempre seguro, a transmitir tranquilidade aos colegas mais próximos. Como teria sido com Roberto?

Gaitán e Witsel: A beleza e a potência

Emerson está cada vez melhor. Estamos a ganhar um novo lateral esquerdo. A verdade é que, nem sempre apanhou Hulk pela frente, até porque muitas vezes o Portista, deambulava para o meio. Mas na sua posição, claramente cumpriu. Apenas falhou no 2º golo, onde foi pouco acutilante na hora do cruzamento.
Maxi esteve como sempre. Lutador, consciente, disposto a entregar a vida pelo jogo.
Javi. Muito bem. Sabe sempre onde deve estar, quando deve fazer falta, sabe muito bem ocupar os espaços. É importantíssimo nestes jogos.

Gaitán. Esteve como tem estado. Tem pormenores deliciosos. E ainda teve tempo de fazer um golão. Quem se lembra de Di Maria??

O momento mágico: o golaço do Argentino

Também gostei de Nolito. O Espanhol tem a atracção pelo difícil, pelo complexo. Inventou algo incrível dentro da área Portista, que resultou no 1º golo. Nota-se que não tem medo de criar.

A falta de vergonha e de jeito para simular....




É assim que jogadores como Fucile, tentam arrancar expulsões.
É motivo de chacota no Brasil, de onde tirei este video

HAJA ALGUÉM QUE DESMASCARE ESTA GENTALHA.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O Benfica já está a caminho do Porto...e vem preparado!




Quando o vento venta para outro lado!!

André Villas-Boas (AVB) anda muito chateado com o árbitro do jogo Manchester United- Chelsea.
Ao que parece, o bandeiras do jogo, não marcou 2 foras-de-jogo que resultaram nos 2 primeiros golos dos Red Devils.
AVB fez queixa à comissão dos apitos dourados lá do sítio.
Eu gostaria de assinalar a coragem e a merecida frustração do técnico português.
Aproveito para lhe pedir que não desista de purificar o futebol mundial, a começar pelo nosso.
Podia começar por se queixar ao submundo do futebol português, sobre a arbitragem do Guimarães-Benfica, do ano passado, da autoria de Olegário, podia queixar-se da arbitragem de Elmano no dragão quando mandou repetir o penalty até o Setúbal falhar ou queixar-se de Artur Soares Dias quando viu Rolando jogar andebol contra o Sporting e nada marcou.

Os Portugas!

Recentemente um dos muitos blogs benfiquistas (cada vez mais é no universo blogger encarnado que vamos sabendo as verdades e as mentiras que os jornais não contam) publicou quais os Portugueses que fazem parte do plantel de cada um dos 3 grandes.
Depois de nos terem contaram um cem número de mentiras sobre esse assunto, como por exemplo o facto de o Benfica não ter Portugueses, o facto de o Sporting ser o clube que mais aposta nos jovens, a academia leonina etc… concluímos agora que tudo isto não passou de um engodo.

Basicamente a verdade é que:
 
O Benfica tem 8 Portugueses, 6 da formação:
Eduardo, Mika, Miguel Vítor, Luís Martins, Ruben Amorim, David Simão, Ruben Pinto e Nélson Oliveira.
Apenas os dois primeiros não pertencem à formação.
O Sporting tem 7, sendo que 5 são da formação:
Rui Patrício, Tiago, João Pereira, Daniel Carriço, Pereirinha, André Santos, André Martins. Tiago e João Pereira não fazem parte da formação.
O FC Porto possui apenas 4 Portugueses no plantel, nenhum da formação
São eles Rolando, Emídio Rafael, João Moutinho e Varela.
Afinal de contas é o Benfica que tem mais lusos, e é o que tem mais jogadores da formação.

Outra das muitas mentiras que se tem contado por ai, é que o Benfica é o único dos grandes que não liga e não acredita no jogador luso. Efectivamente o Benfica habitualmente joga com 11 jogadores nascidos no estrangeiros, sendo que algumas vezes apenas Ruben Amorim faz uma perninha do lado dos portugas.
Se analisarmos o 11 inicial do Sporting em Vila do Conde, apenas Patrício e João Pereira jogaram de início. Contra o Feirense o FCPorto utilizou Rolando (nascido em Cabo Verde) e Moutinho.
2 é mais que 0, é verdade.
Mas 2 em 11, para mim, também é falta de confiança nos lusos.
Logo, em vez de considerarem este problema um problema do Benfica, talvez fosse mais honesto considerar este caso um problema do futebol Português. 

Coentrão não tem papas na língua....

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Operação Dragão...

Esta sexta-feira há classico a norte.
Hulk vai voltar, James ficará de fora. No Benfica nada muda.
Fala-se na dúvida de Jesus entre Amorim e Nolito.

No Dragão apenas uma dúvida. Quem jogará no extremo oposto de Hulk? Rodriguez ou Varela?
Cá atrás, seguramente, Álvaro Pereira ocupará seguramente o lugar de defesa esquerdo. Isto significa que Maxi terá que ter preocupações essencialmente defensivas. Jesus, seguramente aproveitará Gaitán para assustar Pereira e não o deixar subir tanto. Do outro lado, jogue Fucile ou Sapunaru, terá que apanhar pela frente provavelamente Nolito. Se JJ optar por Amorim, então o meio campo ficará mais robusto, mas a ala esquerda mais liberta. Emerson terá novo grande desafio. Depois de ter escapado ao duelo com Nani, desta vez não tem jeito. Emerson terá pela frente, Hulk. Será importante que um dos homens do meio o apoie.

No centro da defesa, Luisão e Garay provavelmente terão que se preocupar com as entradas para o meio de Hulk e com as movimentações de Kleber. Mas também será necessário ter em atenção as bolas paradas onde os centrais do Porto, (Rolando, Maicon ou Otamendi) são fortes no espaço áereo.

O empate no dragão, será sempre um bom resultado. Mas temos condições para vencer. Para tal, temos que ter um Javi dominador, um Witsel controlador, e lá na frente, um Gaitán, Cardozo e Aimar verdadeiramente inspirados.
A Jesus pede-se que, mais do que meter a melhor equipa em campo,  saiba mexer na mesma, durante o jogo, mediante as incidências. E nesse capítulo, Jesus tem estado bem.

Contra tudo e contra todos

O "bom árbitro"


Vídeohttp://www.youtube.com/watch?v=ZiYBV8O_DqE

Não se enganem meus amigos!
O Glorioso vai-se bater contra tudo e contra todos! Contra o sistema, o engano, a viciação, os poderes ocultos, a máfia, a violência, o roubo e já está tudo preparado para que isso aconteça.

Se o Benfica ganhar, é campeão!
E mais nada...

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A 5ª Jornada: A Arbitragem

Feirense- 0
FCPorto-0

O resultado não sofreu influência do árbitro.
Aos 15' foi pedido penalty de Belluschi por rasteira de um adversário. Na minha opinião o argentino efectivamente deixa o pé, mas o jogador da casa procura claramente o contacto, isto é, força a falta muito antes de ela acontecer. Na minha opinião a decisão foi a mais correcta.

Aos 82' os forasteiros pedem mão de um jogador do Feirense na área. A bola, claramente bate no peito/torax.

Em cima da hora, James foi expulso e bem expulso. Depois de sofrer falta, levantou-se e foi na direcção de Rabiola, acertando-lhe um soco no estômago. Vermelho para James e amarelo para Rabiola. Decisão correctíssima.



Benfica- 4
Académica- 1

Aos 8' Bruno César, mete a mão à bola dentro da área. Penalty por marcar.

Aos 22' Bruno César pede penalidade num lance em que remata a curta distância do adversário. Se o árbitro marcasse penalty seria injusto.

Aos 36' Saviola é violentamente agredido por um jogador adversário. Faltou o vermelho a Ndouyae.

Aos 61' é a vez de Sissoko pedir penalty na área encarnada. Penso que ninguém lhe toca e ele procura claramente a falta. O árbitro mandou seguir e bem.

No 1º golo do Benfica, os jogadores da Académica apontam para uma mão de Saviola. As imagens não esclarecem.

A vitória do Benfica, apesar de alguns erros, não merece contestação.



Rio Ave- 2
Sporting- 3

O único lance onde encontro dúvidas, é talvez o 1º golo do Rio Ave, onde me parece que poderá haver uma falta sobre o jogador leonino. Há dúvidas. O Sporting ganha bem.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Altos e Baixos de Setembro.........

Cardozo- Claramente o avançado do Benfica está em alta. 2 golos contra o Guimarães e um super golo contra o Manchester calaram de vez os assobios. Ontem, contra os Estudantes, não marcou, mas saiu aplaudido. Venceu à força e à custa de golos a desconfiança.

Emerson- Começou na luz a medo. Afinal de contas era o nome de Coentrão que ele tinha que fazer esquecer. Não ataca, nem corre, como o actual jogador do Real, mas está a adaptar-se cada vez melhor. Defende relativamente bem e até já se aventura em tabelinhas no ataque. Capdevilla não lhe consegue tirar o lugar.

Bruno César- Parecia com peso a mais. Mas agora percebemos que tem um grande arranque e que é muito difícil tirar-lhe a bola. Só em falta. Já facturou 3 vezes no campeonato e cada vez mais, vai ganhando lugar neste Benfica  2011/2012.

Nolito- Começou logo a mostrar a escola Barcelona. Golos e mais golos e um futebol que encanta. Tem a capacidade rara de driblar dentro de uma cabine telefónica. É detentor de um egoísmo fabuloso.

Gaitán- É um grande jogador. Não é por acaso que Sir. Alex Fergunson anda maravilhado com ele. O passe para Cardozo fazer o golo contra o Manchester, é uma obra de arte.





Saviola- Está muito longe do coelhinho de 2009/2010. Fisicamente longe e com falta de confiança. Não tem lugar neste Benfica.

Artur- É obvio que é um grande guarda-redes. Mas neste mês não tem estado tão bem. Uma falha contra o Guimarães que resultou no golo de Edgar e agora contra a Académica, também a ficar mal na fotografia. Ainda asssim, muito longe das gaffes de Roberto.

domingo, 18 de setembro de 2011

Chegue-se à frente por favor!

Aproveitando o deslize no centro do país, o Glorioso recebeu e despachou a Académica por claros 4-1. O jogo não foi brilhante, mas  a vitória foi clara e a espaços assistiu-se a bom futebol, trocas de bolas de elevada qualidade e jogadas de recorte técnico superior. O Benfica chega à liderança embora tenha que a repartir com o FCPorto (eles tem +9 golos em GA e nós 8). Desta forma reduzimos distâncias antes do grande embate no campo de golfe das antas.
Hoje, JJ surpreendeu ao lançar Nolito e Bruno César ao mesmo tempo, e colocando no miolo Matic que assim se estreou a titular no Benfica. Javi, Gaitán e Aimar foram para o banco, provando que JJ aprendeu a gerir expectativas bem como a condição física dos atletas.
No quarteto defensivo, Jesus manteve os jogadores do costume. Atrás de Cardozo, Saviola fez de Aimar embora estivesse um pouco mais subido. E foi a fazer de Aimar, que Saviola assistiu primorosamente Bruno César para este fazer o golo inaugural, numa jogada de elevado recorte técnico, onde a brasileiro, já dentro da área, teve a arte de tirar um homem do caminho e colocar a bola nas redes defendidas pelo francês Peiser. A Académica empatou num lance onde Artur podia ter feito algo mais mas no minuto seguinte, Nolito, numa jogada individual, colocou de novo o Benfica em vantagem. Na 2ª parte, depois de uma falha de Peiser, o Benfica através da cabeça de Aimar colocou um ponto final quanto à dúvida de quem seria o vencedor do encontro, e já muito perto do fim, Nolito, mais uma vez, fechou a contagem, depois de mais um passe soberbo de El Mago.
O Benfica demonstrou hoje que o plantel é rico em alternativas e desta forma lançou bases mais interessantes para o clássico do Dragão. Perto do fim, ainda houve tempo para a estreia de Rodrigo e para as palmas para Cardozo.

Uma palavra para os adeptos do Benfica. Grande demonstração de amor pelo clube. Numa semana com 3 jogos na luz, uma boa casa contra o Guimarães, estádio cheio contra o Manchester e hoje uma bela meia casa, o que em tempos de crise é obra. E ainda de realçar os aplausos de pé, com que brindaram Tacuara. Claramente fica a ideia que as pessoas vão entendendo a importância do Paraguaio na equipa.

sábado, 17 de setembro de 2011

Renovação Aimar???

Pode parecer chocante, mas tenho muitas dúvidas sobre a renovação de Aimar.
Depois de 3 épocas na luz, Aimar pouco evoluiu a nível físico. Raramente joga 2 jogos seguidos.
Obviamente que quando está bem, o futebol do Benfica torna-se mais fluído e tudo parece funcionar. Mas o problema é que Aimar nunca joga os 90 minutos e em semanas de competições europeias, anda sempre a ser avaliado com pinças, e quase sempre acaba por falhar uma das competições.  Neste momento joga a Champions e fica de fora no campeonato. A verdade é que ele ganha um salário muito alto, e a tempo inteiro, que é o pior. Penso que apesar de tudo, está questão deve ser bem analisada, com os números que interessam. Olhar para o número dos jogos que fez, e porque não, tentar renegociar o salário do Argentino.




Eu estou à vontade para falar de Aimar porque era um dos meus jogadores favoritos nos tempos do Valência.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O beijo de Judas!

"... Ora, o traidor lhes tinha dado este sinal: Aquele a quem eu beijar, é esse; prendei-o.
E logo, aproximando-se de Jesus, lhe disse: Salve, Mestre! E o beijou.

Jesus, porém, lhe disse: Amigo, para que vieste? Nisto, aproximando-se eles, deitaram as mãos em Jesus e o prenderam."

Quando leio esta passagem da bíblia, não posso deixar de me lembrar do último Benfica- V. Guimarães. Os 3 penalties marcados, fazem-me perguntar se este não terá sido o tal beijo, que nos deram, antes de nos apunhalarem, daqui a uma semana, quando nos deslocarmos ao estádio do ladr... peço desculpa...Dragão.

É que tudo, que nos possam fazer, na jornada 6, por mais que nos queixemos, terá sempre a resposta "não se esqueçam dos 3 penalties...". E nós que não pedimos apoio do "sistema", vamos ter a opinião pública, a reprovar os nossos lamentos. E assim, se contrói o mito, de que nós é que somos ajudados.


 


E por isso eu queria deixar um recado ao sub-mundo do futebol PORTOguês. Ó pá....não obrigado. Queremos apitos correctos e vencedores justos. E não queremos palmadinhas nas costas e depois um punhal no coração.

Realismo e responsabilidade! O novo Benfica....

Sempre ao ataque
Jorge Jesus evoluiu bastante no último ano. E com ele, o futebol do Benfica. Os tempos do futebol vertiginoso, sempre ao ataque, empolgante é verdade, mas irresponsável e de desfecho incerto parece ter acabado. É a razão a levar a melhor sobre o coração. Com isto, não quero criticar JJ. Trata-se, na minha opinião, de um homem que entende de futebol, que sabe mexer na equipa, sabe diferenciar um jogador de qualidade de um jogador banal e mais do que isso, sabe potenciar as qualidades de cada atleta. Mas tem um problema. Chegou muito tarde a um grande. E quando chegou, chegou com a corda toda. E nós, adeptos, também não o ajudamos nesse sentido, porque nós gostamos desde logo da loucura e vertigem que ele aplicou no futebol da águia. Como se não bastasse, fomos logo campeões no seu ano de estreia. E com muita categoria. Deslumbramos a Europa no primeiro ano de Jesus. Mas o ano passado na Champions, batemos de frente com o problema.

Este ano noto um Benfica menos espectacular, mais pragmático. Menos romântico, mais equilibrado. Menos louco, mais consciente. Em resumo, perde-se em beleza, provavelmente ganha-se em títulos.

Nos 2 últimos anos, seria impensável, ver Jesus e segurar um resultado, a meter mais um trinco, a pedir calma à equipa. A verdade é que teve precauções na Madeira e venceu o Nacional, em casa com o Guimarães e venceu, e na passada quarta-feira contra o poderoso Manchester, e não perdeu.
A contratação de um jogador como Witsel mostra bem qual o novo Benfica que se pretende. De certo modo jogadores como o Belga e como Javi, servem para contrabalançar jogadores como Gaitán ou Nolito.
Mas no final, o Benfica é que ganha.

O novo Jesus pede mais calma

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

4ª Jornada: A arbitragem

Esta semana foi uma semana relativamente fácil para os árbitros. Na luz, é que a coisa não foi nada fácil de decidir.


Efectivamente, Duarte Gomes, teve um jogo complicado, na luz, com muitas situações de análise difícil. O simples facto de haver tantos penalties, é motivo só por si, para uma semana pouco sossegada para o árbitro.





FCPorto- 3


V. Setúbal- 0



Nada a apontar. Um ou outro lance sem importância. 3 pontos para os dragões.





Paços Ferreira- 2


Sporting- 3



Correcta a expulsão do jogador da casa, já na 2ª parte. Ficou a faltar cartão vermelho para jogador dos Pacences por entrada sobre Rinaudo. Vitória correcta dos leões.





Benfica- 2


V. Guimarães-1



Este foi um jogo complicado.



Para começar ficou por marcar um penalty, por mão na bola de Alex, após cruzamento de Emerson, aos 26'. Se por um lado se pode dizer que o lance é muito perto, por outro eu diria que o jogador tem o braço estendido sem necessidade, aumentando desta forma o tamanho do corpo.



De seguida é marcado um penalty, sobre Saviola, que na minha opinião é bem marcado. O jogador é atropelado pelo defesa vimaranense. O amarelo não foi mostrado e foi uma decisão correcta. O lance não tinha perigo.



O 2º penalty, de frente (a visão do árbitro) parece ser claro. De trás, com outra câmara, ao qual o arbitro não tem acesso, parece bola no peito/barriga. Mal marcado.



O 3º é o lance mais difícil de analisar. O árbitro tem que decidir na hora. Eu, já depois de ver umas cem vezes o lance, continuo com dúvidas. Em defesa do jogador, parece que a bola bate na cabeça e pode-se dizer que o lance é mais uma vez, muito perto. Em defesa do árbitro, há uma imagem de trás em que se vê a manga do equipamento a mexer (o que indicia toque da bola no braço e depois na cabeça) e ainda pode-se dizer que o jogador ataca o lance com os braços no ar, de forma deliberada. Honestamente, qualquer decisão seria aceitável.



Aos 74' o Guimarães pede penalty de Emerson. Correcta a decisão de Duarte Gomes. Emerson corta apenas a bola.



Aos 87' Maxi tem uma entrada sobre Assis que poderia merecer o cartão vermelho. O árbitro ficou-se pelo amarelo.


No geral, eu diria que pela dificuldade de análise do 3º penalty aceita-se o resultado final.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Benfica vs United

O Benfica recebeu hoje o Manchester United, no 1º jogo do grupo C, da Liga dos Campeões. Basicamente o Benfica foi mais forte na 1ª parte onde poderia ter construído o resultado e dividiu o jogo com o adversário na etapa complementar. Começou por ganhar num lance fantástico de Gaitán que coloca de bandeja a bola em Cardozo, que depois de adornar ainda mais o lance, atirou a contar para o fundo das redes. Giggs, empatou o jogo perto do intervalo num lance de elevada qualidade. O Benfica esteve bem no plano defensivo, conseguindo suster o maior poderio atacante dos Ingleses, ataque esse, onde pontifica Wayne Rooney. Nas transições defensivas e ofensivas também esteve bem, pecando uma vez mais na finalização. Talvez por isso, cada vez, Cardozo seja, um achado neste Benfica. O resultado final não sendo fabuloso, deixa perspectivas para a passagem à 2ª fase. Até nos deslocarmos a Manchester, teremos 3 jogos, para mostrarmos que, a seguir aos Red Devils, quem manda, são os Diabos Vermelhos. A minha análise individual da equipa.

Artur- Uma bênção. É muito bom. Nas saídas, nos postes. Aos 63’ uma defesa providencial  com os pés a evitar o 1-2. Quem rematou foi Giggs. Só não conseguiu fazer nada no golo do empate.

Luisão- Um comandante. Cortou tudo o que podia. Imperial. A sua presença dita leis.
Garay- Sempre mais apagado que o colega de posição, esteve seguro e bem na maior parte das vezes.

Maxi- Continua a não fazer grandes jogos esta época. Mas é um torpedo de força, de ambição, de garra. Um jogador à Benfica.

Emerson- Pois…hoje o adversário era outro. Teve dificuldades em segurar Valência. Subiu a medo, mas no geral não comprometeu. Mas ainda está longe do que pretendemos.

Javi- A sua presença quase nem é notada. Mas é muito eficiente. Notou-se e muito no golo do United. Não estava onde devia.

Witsel- Um jogo menos conseguido…lá está ..... o adversário. Mas com a bola nos pés…sabe o que fazer. Divide com Javi a culpa no golo Inglês, sobretudo porque não pressiona Giggs no momento em que ele transporta a bola em direcção à área.

Amorim- A grande surpresa da noite. Cumpriu como sempre.

Aimar- Prometeu muito no início. Mas no geral foi a desilusão da noite.

Gaitán- Infernal. Beleza, talento, eis Gaitán. O passe para o golo de Cardozo é uma obra de artista. Esteve perto de fazer o golo por 4 vezes. O keeper contrário não deixou.

Cardozo- O Paraguaio é o tal. Sempre a procurar as redes adversárias. É egoísta, só pensa nele mas é o homem que factura. No golo teve muita arte. Dominou, fez uma finta com a esquerda e disparou de direita. Belo golo.

Nolito- Só entrou na 2ª parte. Mexeu com o jogo. É um dos meus favoritos. Em cima da hora esteve quase a fechar o jogo numa jogada que só ele conseguiria fazer. Espero que Jesus não o estrague.

Matic- Entrou para segurar e conseguiu tapar. É pena que tenha pouco lugar para jogar.

Bruno César- Entrou para render o lesionado Gaitán. Não deu para fazer nada. Mas ainda assim, nos 2 minutos em que jogou teve ainda tempo para fazer o habitual chuta-chuta.

Jesus- Surpreendeu com a equipa inicial. Mas esteve muito bem. Depois na 2ª parte viu o Benfica perder o controlo e demorou algum tempo a mexer. Quando mexeu, mexeu bem. Penso que em vez de tirar Amorim, deveria tirar Aimar.


De Red Devil para Red Devil......

Amanhã voltamos à Liga dos Campeões. O adversário, é nada mais nada menos, que o vice-campeão da Europa. Um dos colossos actuais e de sempre do futebol europeu. É de longe a melhor equipa Inglesa. Será muito duro. Para quem jogou à dias com o Guimarães…digamos que o …. Manchester é outra pedalada.

Habitualmente, o Manchester, joga em velocidade, muito e bem pelos corredores, tem nas alas defensivas bons jogadores (Evra é espectacular), e depois tem na frente o verdadeiro bombardeiro Inglês que dá pelo nome de Wayne Rooney. É provavelmente o maior avançado do mundo na actualidade. É um homem capaz de resolver um jogo. Pela força, à lei da bala, pela velocidade, de cabeça, de falta...enfim... é um jogador completíssimo.

De qualquer forma é possível vencer este adversário. Amanhã, a dupla de centrais (Ferdinand e Vidic) não estará presente, o que se torna uma baixa de vulto no campeão Inglês. Os nossos homens da frente terão que andar em constante rotação, sendo que sempre que o Benfica perder a bola caberá a Javi e Witsel a ocupação dos espaços de forma a evitar os lançamentos longos e precisos para Rooney, ou as saídas com bola controlada, onde o Manchester é forte. Será preciso segurar Nani (amanhã teremos uma ideia do real valor de Emerson) e será necessário que Luisão e Garay estejam absolutamente irrepreensíveis. Tacticamente, sobretudo na ocupação de espaços e nas transições ofensivas e defensivas,  poderemos levar vantagem, porque nesse capitulo Jesus é muito forte. Fergunson vem a Lisboa convencido que mais tarde ou mais cedo ganhará o jogo. É importante não deixar Nani e Rooney tocar na bola e estar muito atento a Chicharito. Um empate será positivo, mas uma vitória coloca o Benfica com um pé na 2ª fase. Outro elemento que pode desequilibra para o nosso lado será sempre Aimar, se estiver, como tem estado. Todo o futebol do Benfica passará pelo Argentino e pelo Belga. Se Nolito voltar às grandes exibições, penso que poderemos sonhar com os 3 pontos.

Amanhã será preciso um grande Benfica, um Benfica europeu à antiga, de gente com personalidade e vontade de ganhar.
Conto com o nosso capitão para liderar as tropas.

Boa sorte rapazes......


domingo, 11 de setembro de 2011

Vitória ao Guimarães

"Só falhei um em três!" Imaginam o que seria do jogo se ao intervalo estivéssemos a ganhar  3-0?
Assistir ao voo da águia Vitória, na vitória sobre o Vitória, foi realmente...interessante!

Depois de toda a semana os media nos amedrontarem com a "goleada surpreendente na Madeira, o futebol fenomenal e de qualidade, a motivação extra da chicotada psicológica, o reputado e conhecedor treinador Rui Vitória, os jogadores de eleição do Vitória de Guimarães", eis que passados os noventa minutos, até eu estou surpreso com a nossa vitória, ainda que em termos estatísticos, não houvesse lugar a surpresa.

Mas é sempre surpreendente o enaltecimento e ressuscitar de qualquer equipa, sempre que joga contra o Glorioso. E ainda acham que negociar €40 Milhões por época de direitos televisivos é pouco, quando temos todos os benfiquistas, bem como os anti-Benfica a assistir. Somos enormes!

O jogo, na minha opinião, fica marcado pelo número pouco usual de grandes-penalidades assinaladas correctamente - tinha que existir um dia em que alguém corajosos e sem problemas de visão, as marcasse. Ainda assim, temo que o sistema não deixe impune esta façanha - e pela tremideira do corredor esquerdo que tarda a acertar, depois da saída do caxineiro. Não que eu exija um novo sprinter loiro com a mania que é maluco ao nosso Benfica, mas Emerson começa a revelar fragilidades que à semelhança do guarda-redes Roberto - lembram-se dele? - só Jesus não consegue vislumbrar.

Nunca assobiei Cardozo, mas é impressão minha ou 60% das bolas/jogadas que lhe chegam aos pés, não dão em nada? Dá vontade de lhe bater, não de assobiar...

Já que estamos a questionar, pergunto-vos o seguinte:
- O que é que Saviola faz/fez no jogo, que Aimar não pudesse ter feito de início?
- É impressão minha, ou Javi Garcia continua a estar "sozinho" a defender à frente dos centrais, trazendo desiquilibrios à defesa e meio-campo do Benfica?

Salvaguardo que mesmo sem agradar a todos, este jogou valeu pela vitória e seria pouco honesto da minha parte se não vos dissesse que assim como assim, prefiro as vitórias a perder pontos. Mas nota-se ainda pouca consistência em certos movimentos defensivos, bem como alguma "ferrugem" nos movimentos ofensivos. Acredito que tudo melhore no futuro.

Individualmente e em jeito de despedida diria que Artur Moraes por não ter tido grande actividade, deixou-se adormecer e o pesadelo aviário do Roberto apareceu-lhe. De resto nada a assinalar, à defesa do Benfica que exceptuando Emerson parece-me coesa e com qualidade, nem ao meio-campo que não compromete, mas que sem o "perfume de Aimar" também não deslumbra. O ataque? Talvez não tenha visto muito do jogo, talvez estivesse também eu a dormir, mas pareceu-me que os nossos atacantes começam a ser muito previsíveis.

E esta gestão de plantel ah? Jogam sempre os mesmos...
E vocês, o que acharam deste jogo?

sábado, 10 de setembro de 2011

Temos capitão por mais 5 anos. Capitulo fechado.

Luisão será nosso até 2016.
Claro que no próximo verão, virá com mais pedidos de aumento de salário, alegando que a mulher está outra vez grávida e que tem outros sonhos e objectivos e tal.
Para já vai ficando.

E a verdade é que, apesar de me enojar as habituais declarações de verão de Luisão, no Benfica, não há como ele. A segurança defensiva (quem joga ao lado dele parece sempre ser um grande jogador....hummm talvez a excepção seja Jardel), a liderança, os berros para corrigir a equipa e como se isto não bastasse, a capacidade de estar no lugar certo à hora perfeita. Foi assim contra o Liverpool na luz em 2005, aos 82', contra o Sporting, no penúltimo título do Benfica. E foi assim mais recentemente na luz, no jogo contra o Braga, no último título.
Na época passada, na Holanda, contra o PSV num momento em que o Benfica está perto de cair, voltou a ser decisivo ao fazer um golo espectacular, que relançou o Benfica para seguir em frente na Liga Europa.


A verdade é que Luisão, quando é preciso, como capitão que é, dá um passo em frente e assume a responsabilidade de mostrar serviço. Uma atitude destas, distingue-o dos demais que fazem apenas o seu trabalhinho.


Além disso tem sido um exemplo dentro do terreno de jogo. Fora dele e quando estamos no defeso é que tem sido irresponsável. Ainda assim, é uma excelente decisão da direcção em mantê-lo na luz.

Benfica X V.Guimarães

Todos tentam conquistar a glória... mas ninguém conquista o Glorioso!

FPF: a marionete que faltava....

E agora... de súbito...todos aqueles que nunca ligaram para a Federação e alguns que até abriram o champagne em 2004 quando Charisteas tramou a selecção nacional no europeu, estão todos interessados nas eleições da federação portuguesa de bola. Assim de repente eu me pergunto porque será que apareceu este súbito interesse....hummm.... será por causa da arbitragem???

Para já, temos dois candidatos. António Sequeira (antigo secretário-geral da Federação Portuguesa de Futebol) e Filipe Soares Franco (ex presidente da Tranquilidade). Do primeiro pouco tenho a dizer mas do segundo lembro-me bem. Lembro-me por exemplo, que no seu tempo, em Alvalade, em momento algum, contestou o domínio da fruta e café com leite no futebol português. Talvez por isso nunca tenha sido campeão já que sempre se contentou em ficar atrás do amigo fruteiro. Lembro-me também de uma famosa frase proferida pelo mesmo presidente do Sporting que afirmou a dada altura que “O Sporting não me retira muito tempo. Tenho quatro grandes braços-direitos no clube: o Dr. Miguel Ribeiro Teles, no futebol, o Eng. Nobre Guedes, na gestão, o Mário Patrício e o professor Moniz Pereira, nas modalidades. Gasto pouco mais de uma hora por dia com o clube.

Espero que ele tenha mais tempo para dedicar à Federação caso ganhe as eleições. A menos que quem a vá gerir seja o tridente Fruta do Norte-Fruta do Minho-Fruta da Madeira.

Para já tratou de ir eliminando a concorrência, mesmo antes da concorrência sequer se declarar interessada em lutar por esta eleição. A verdade é que um dos possíveis candidatos, Fernando Seara, apesar de ainda não ter dito que oficialmente é candidato, já foi vitima de um "chega para lá" de Franco. Este veio dizer que Seara "é uma pessoa indecisa e uma pessoa indecisa não tem condições para ser candidato à presidência da FPF

Eu diria que a principal qualidade de Franco é mesmo o seu poder de decisão. Decidiu sempre sem hesitar que passaria pelo Sporting sem levantar um título. Para acabar eu diria que a troika que o apoia, emana do mesmo grupo que controla o futebol português há 30 anos. E se a fruta está do lado dele, então é melhor estarmos do outro lado.





Claro que a fruta, agora.... diz que apoia Fernando Gomes. Não o apoiou para a Liga. Tinha acabado de sair da SAD Calor da noite e como tal era muito escandaloso o apoio. Agora que já passaram alguns tempos.... aparece o apoio. Não espanta que os super ladrões já se tenham esquecido de Falcão. O maior ponta de lança da equipa é mesmo o presidente da Liga.
Como quem joga xadrez, uma vez controlada a Liga, falta mexer uma peça para controlar a Federação. E com estas duas marionetas na mão.....o clube do ladrão....será sempre o próximo campeão.

Será uma grande lata ou muita falta de vergonha na cara?

"Congratulo-me pelo facto dos clubes Liga de Honra debaterem esses assuntos onde devem ser debatidos e não em almoços, porque isso são coisas que cheiram a arranjinhos. E quando são arranjinhos, eu não gosto", disse, aludindo ao encontro desta semana entre Luís Filipe Vieira e Godinho Lopes, presidentes de Benfica e Sporting, respectivamente.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Um leão com lucidez

Petrovich (adepto do Sporting)
Título: O anti-benfiquismo primário - a doença infantil do Sportinguismo
http://www.forumscp.com/index.php?topic=23056.0

7 Maio, 2010


"A rivalidade com o Benfica está na matriz do Sporting. O Nélson Rodrigues – fanático do Fluminense – disse um dia o Fla-Flu surgiu quarenta minutos antes do nada. O mesmo se aplica o Sporting-Benfica. É o grande clássico do futebol português. Opõe pai contra filho, irmão contra irmão e amigo contra amigo. Tem um apelo transversal que mais nenhum jogo em Portugal tem – por muito que isto custe aos nossos rivais andrades. É a vitória mais doce e a derrota mais amarga.

Reconhecer a importância desta rivalidade não reduz em nada o Sporting. Pelo contrário, só mostra a complexidade e riqueza do clube. Os clubes são instituições centenárias e a sua identidade, construída ao longo de décadas, tem múltiplas camadas. O anti-benfiquismo é só mais uma. Vivida no meio das outras, não tem nada de errado. Mas quando se torna o centro de tudo - o que eu designo por anti-benfiquismo primário - é destrutiva.

Eu perfilhei o anti-benfiquismo primário durante quase três décadas com entusiasmo. Não sem razão. Boa parte das minhas memórias de infância, coincidem com um dos períodos mais negros da história do clube – imaginem esta época de 2009/10 mas multiplicada por três: 87/88, 88/89 e 89/90. Ao mesmo tempo que o Benfica ia a duas finais da Taça dos Campeões Europeus, nós discutíamos a Taça de Honra da AF Lisboa. Quando eles tinham o Valdo, nós tínhamos o Ali Hassan. Quando eles tinham o Magnusson, nós tínhamos o Eskilsson. E, na escola, as hordas vermelhas faziam questão de o lembrar todos dias. Ser do Sporting era então mais do que apoiar um clube: era um exercício de resistência - psicológica e, às vezes, mesmo física.

Sporting vs. Benfica tornou-se um molde de como eu via a ficção e até a História. Lia o Senhor dos Anéis e adivinhava logo qual era o clube do Sauron. Lia sobre a Guerra Civil de Espanha e achava que “No Pasarán!” podia ser o nosso lema. Lia um livro sobre a batalha de Inglaterra e via bravos pilotos de Spitfires com cachecóis verde-e-brancos a manterem à distância o dobro de Messerschmitts com águias pintadas na fuselagem. Churchill tinha razão: se o Benfica jogasse com a selecção do Inferno, o Diabo mereceria pelo menos uma palavra de apoio no Parlamento.

Javier Marías diz que o futebol é um regresso semanal à infância. Isso talvez ajude a perceber porque me mantive esta visão infantil já por este século a dentro. Ganhávamos pouco; mas isso pouco importava porque o Benfica ainda ganhava menos.

Então vieram as cinco últimas épocas. E comecei a sentir que qualquer coisa estava errada – muito errada. Jogávamos um futebol horrível, contratávamos quintas escolhas, definhávamos nas modalidades onde outrora dominávamos. No entanto, o discurso dos dirigentes tinha qualquer coisa de “duplipensar” orwelliano. A incapacidade de gerar receitas e desinvestimento testemunhavam uma gestão de excelência. O empobrecimento do clube era apresentado como racionalização. O almejar e exigir títulos como demagogia. Um treinador perdedor como um vencedor no longo prazo. A incompetência no mercado como uma aposta nos jovens Academia. E, acima de tudo, as dificuldades de quem estava pior que nós como prova de que estávamos no bom caminho: “Não estamos à frente do Benfica? Que queres mais?”

Abalado nos alicerces, o meu anti-benfiquismo primário desabou finalmente numa noite de Fevereiro de 2009. Jogo contra o Rio Ave, o primeiro depois do desastre de Munique. Fui ao estádio na firme disposição de mostrar o que achava do facto de Bento, Franco e Telles não se terem demitido na hora. Então, pelo rádio, surge a notícia de que o Benfica perdeu com o Guimarães. Grande ovação! Pela primeira vez, senti-me completamente estranho a uma manifestação de anti-benfiquismo. O clube tinha sido ridicularizado perante milhões de telespectadores; estávamos a mais de dez pontos do primeiro lugar a meio do campeonato; não ganhávamos um jogo fora para o campeonato desde Outubro. E festeja-se?! Por causa dos tristes do Benfica?!

Experimentei então olhar a realidade sem os óculos do anti-benfiquismo primário. Se fizerem o mesmo agora, o que vão ver não é bonito:

- Passaram oito anos desde o nosso último título. Os últimos quatro em segundo lugar atrás do Porto. Será que não nos estamos a enganar sobre o nosso principal adversário neste momento?

- Pensem nos últimos 15 campeonatos. Os lampiões, esse inimigo pérfido e temível, afinal ganharam tantos campeonatos como nós: 2. O Porto, esse, ganhou 12. Será que não nos estamos a enganar sobre o nosso principal adversário neste momento?

- Pensem no Apito Dourado. Ficou provado que houve um clube que ganhou o campeonato de 2003/04 subornando árbitros – sendo o seu principal adversário nesse campeonato o Sporting Clube de Portugal. Que clube era esse? Será que não nos estamos a enganar sobre o nosso principal adversário neste momento?

Uma coisa é gostar de dar alfinetadas no Benfica – algo de saudável. Outra é assumir as balelas do Porto, por mais absurdas que elas sejam, com um ardor de fazer inveja a qualquer Super Dragão. É o Vandinho que é um mártir (apesar de as imagens que o mostram aos pontapés ao treinador adjunto do Benfica). São cabalas contra o Braga para os impedir de inscrever substitutos para o mesmo Vandinho (apesar de, à época do castigo, já terem esgotado as vagas de Inverno). É o Hulk que é provocado por um steward (apesar de nenhuma imagem o mostrar).  É o Ruben Micael que é vítima do túnel da Luz (apesar de só se ter lembrado disso quando chegou ao Porto e de, quando a Liga o chamou para investigar, ter ficado calado a conselho dos advogados do Porto). É o Benfica que controla Liga (apesar de ter sido o único “grande” que não apoiou a lista que agora cessa funções). É o Falcão que leva um amarelo para o impedir de jogar com o Benfica (apesar de a única dúvida nesse lance ser se é para amarelo ou vermelho)

Um jogador lamp leva com um isqueiro, pega nele,finge que o vai atirar de volta e deixa-o cair - a Liga é vermelha pois não lhe dá um castigo igual ao Hulk! Entretanto o Braga mantém-se na corrida do título graças a uma arbitragem vergonhosa contra o Guimarães e um golo milhas fora-de-jogo contra o Paços, mas isso não merece um comentário. O CJ da FPF iliba um jogador de uma suspensão justa com uma decisão hilariante que equipara um steward a um espectador – mas está é “descoberta a careca lampiã do Ricardo Costa!”. Desde que se arranje ruído – e se o Porto é especialista nisso! - e se repita o mantra: “este campeonato é roubado pelo Benfica”, tudo estará bem.

Desculpem-me se não alinho nisto. Desculpem-me se me entristece ver adeptos do Sporting a festejarem efusivamente golos do nosso principal adversário, quando caminhávamos para a 8ª derrota e para o 17º jogo sem ganhar da temporada. Desculpem-me se me entristece ver, na homenagem a um símbolo do Sporting, incentivos a um treinador que um dia disse que em circunstância alguma vestiria a camisola do Sporting. E desculpem-me se acho que este anti-benfiquismo primário e a sua manipulação por Direcções incompetentes tem tido um papel importante no adormecimento do clube.

E, antes de me atirarem as pedras, não estou a tentar a dizer a ninguém o que deve sentir. Estou a relatar o que eu sinto. Em mim, o anti-benfiquismo primário desvaneceu-se e não me peçam para o sentir de novo tão cedo.

Infelizmente, o Benfica vai ser campeão esta época. Vai custar-me muito, claro. Mas não mais do que se tivesse sido o Porto a ganhar. Não mais do que qualquer ano em que o Sporting não está no seu lugar devido: o primeiro. E não mais do que quando penso no tempo que desperdiçámos, enquanto celebrávamos a comédia da Luz."

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Renovação por 4 épocas está em cima da mesa

Maxi Pereira tem tudo acertado, valores incluídos, com o Benfica para renovar contrato por mais quatro temporadas, permanecendo no clube até 2016. O lateral-direito uruguaio termina o vínculo com as águias no fim da presente época - poderia vincular-se a outro clube a partir de Janeiro -, mas já prometeu aos dirigentes benfiquistas que fica no clube e irá mesmo assinar o novo acordo. Luís Filipe Vieira tem uma óptima relação com Maxi Pereira, entende ser um dos jogadores mais importantes da equipa e está descansado quanto ao futuro do atleta. O presidente encarnado acredita que Maxi Pereira irá cumprir com a sua palavra e continuar de águia ao peito. O responsável máximo do clube da Luz aguarda apenas que Paco Casal, empresário do defesa, se desloque a Lisboa para concretizar o negócio. Recorde-se que o conhecido empresário sul-americano detém trinta por cento do passe do camisola 14, sendo decisiva a intervenção para que as negociações cheguem a bom porto.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

É favor assobiar...

Assobiem, assobiem... que eu marco golos como se nunca houvesse amanhã!

Análise do último jogo da 3ª Jornada

U. Leiria - FCPorto

Jogo fácil de apitar. Apenas um reparo. Um fora de jogo mal tirado a Kléber. Nada mais a registar.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

É fruta ou .... café com leite???

Hoje há jogo da Liga. Na marinha grande. João Capela será o árbitro.
A esta hora já recebeu um telefonema cujo conteúdo terá sido o seguinte: "Hoje à noite, queres fruta ou café com leite?"

domingo, 4 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Análise 3ª Jornada Liga

Ainda falta o U. Leiria- FCPorto que se realizará no próximo dia 6/9. O árbitro será João Capela.
Para já os jogos realizados de Sporting e Benfica.


Sporting- 2
Maritimo- 3


Neste jogo houve erros para os dois lados. Primeiro, logo no início do jogo Evaldo faz um golo limpo. É um lance complicado para o árbitro porque na altura dois jogadores se fazem ao lance, mas apenas o primeiro (Helder Postiga), está em fora de jogo. Embora de difícil analise, objectivamente é um erro de arbitragem com influência no resultado.
Na 2ª parte o Sporting empata de livre, beneficiando de uma falta que não existe. Aliás, a existir falta, será sempre do jogador leonino.
Já na 2ª parte, o Sporting pede penalty num lance em que o defesa Maritimista coloca a mão no ombro de um avançado leonino. A ser penalty seria algo forçado e relembro que nesta modalidade o contacto é permitido.
Em princípio, apesar dos dois erros com influência no resultado, o score final aceita-se. 2-3.



Nacional- 0
Benfica- 2

Este jogo, apesar do nevoeiro, foi relativamente fácil de apitar. Apenas 1 erro grosseiro, a não expulsão de Fillipe Lopes após violenta cotovelada em Witsel. De resto a expulsão de João Aurélio poderá ser considerada algo exagerada mas aceita-se.
Resultado correcto.

Eis Jesus entre os apóstolos!

Desafio os leitores a apresentar sugestões para o que terá dito Jesus, que colocou tudo a sorrir!

O nosso Benfica 2011/2012

Depois de esperarmos ansiosamente pelo fecho do mercado, eis os 27 (faltará incluir César Peixoto, que vai ficar por cá até resolver a sua vida) eleitos pelo nosso messias:

Obrigado Red Pass
Já tinha mencionado, mas depois de tantas dúvidas, parece-me um plantel equilibrado, repleto de opções e sobretudo jovem e de futuro.

Para os críticos que não viam portugueses no plantel, eis o clube dos três grandes que possui mais atletas (8) portugueses no seu núcleo. Obviamente os jornaleiros nada dizem sobre isto.

Também se criticou a confusão de contratações e dispensas na comunicação social e eis que para espanto de muita gente, temos doze novos jogadores contratados no plantel, já com alguma adaptação e sobretudo com qualidade demonstrada. Há quem não possa dizer o mesmo.

As tais estruturas profissionais, que até ao último segundo contrataram e dispensaram atletas dos plantéis e onde se denotam ainda falhas gravíssimas de opção, fragilizados ainda com resultados e saídas de valores fundamentais para a sua orgânica e ainda a deambular entre os seus problemas. Mas com o mal dos outros, vivemos nós muito bem!

Para os críticos como eu da gestão do nosso Benfica, parece que alguém nos terá ouvido e realizado óptimos negócios, - entre compras e vendas, ficamos com saldo claramente positivo - dispensas com rentabilização de activos - pela presença em ligas de maior destaque, como é a espanhola - e fundamentalmente empréstimos antecedidos de renegociação e prolongamento do contrato - como foi o caso de Urreta e Jara - o que demonstra uma aposta clara em segurar os valores de futuro.

Se juntarmos a isso a inclusão de quatro jogadores jovens no plantel - com valorização além-fronteiras e um nível de qualidade absoluta - para o seu desenvolvimento segundo os parâmetros do Glorioso, não vejo onde se possa criticar estas escolhas.

Com o plantel constituído de experiência e juventude, certezas e promessas, muita qualidade e qualidade indiscutível, então percebe-se que temos tudo para ver o Benfica competir ao mais alto nível. Espero sinceramente que os azares não aconteçam amiúde e a gestão do plantel seja realizada de forma exemplar.

E que no fim, indiscutivelmente, sejamos vencedores! Viva o Benfica!!!

P.S. (acredito que se formos campeões esta época e conseguirmos assegurar a renegociação dos direitos desportivos, não haverá quem nos possa suplantar nos próximos anos. A ver vamos!) 


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...