sexta-feira, 29 de abril de 2011

A mudança de Paradigma!



Fosse eu responsável por motivar psicologicamente os jogadores do plantel benfiquista e sabia bem o que fazer.


O Benfica tem hoje a possibilidade de usar a receita "à Mourinho" que tantos admiram: expor as acusações falsas, declarações mesquinhas, de escárnio e críticas de todos os anti-Benfica, e coloca-las na parede do balneário para todos reflectirem.

Seguidamente, passaria trechos televisivos das imagens de conquista, vaidade e alegria dos nossos adversários a vencerem jogos contra nós.

E perguntar-lhes-ia: "Querem ou não fazer história?"

Se houve algo que nos acusaram esta época, é de termos tido uma pontinha de arrogância nas escolhas e decisões, mas principalmente na forma como encarávamos os jogos. Sempre com síndrome de superioridade, apresentava-mo-nos nos jogos já como vencedores.

Os nossos adversários sabiam bem aproveitar esse sentimento. Aguardavam pela falha, pelo cansaço, lutavam com todas as forças e mais além (dentro e fora de campo) apenas para nos ganharem, motivados por esse sentimento que lhes era incutido: "Eles vêm com a mania da grandeza! Eles acham que vão ganhar! Perder é uma desonra! Vamos come-los!"

E fruto ou não dessa estratégia motivacional, eis que o Benfica esta época teve nítidas dificuldades de impor o seu futebol, foi fragilizado pelas derrotas e recebeu um sentimento de oposição de norte a sul por parte das equipas/adeptos adversários.

Ora, com base nesse sentimento e depois de acharem que estamos no chão, acredito ser a altura de lhes incutirmos um espírito de revolta, garra e querer vencer desde já! Acredito que no futebol não há impossíveis, não há inconvencíveis e que num dia bom tudo pode acontecer.

É que a história faz-se de grandes momentos de jogadores casuais que de acasos fortuitos transcenderam-se no sentimento de querer, no sentimento de vitória! E é melhor morrer do que viver acobardado!

"Hoje o Benfica é menos forte, é o adversário mais fácil, a equipa está cansada e sem valores, os jogadores fracos e sem ritmo falham sempre, a época está a ser ruinosa e nada conquistaram, facilmente todos lhe ganham." E eu quero que eles pensem assim.

"Que são os maiores! Que distribuem golos! Que a equipa é de outro mundo! Que vão ganhar tudo e a todos! Que o Benfica é m....! Que está no papo!"

A surpresa final estará à espera e o último a rir é quem passa a eliminatória e/ou traz a taça para casa! Venham eles! ;)

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Como esteve o Benfica

Roberto- Largou bolas como sempre, assustou como sempre. Lima passou o jogo a chutar de qualquer lado para a baliza porque toda a gente menos Jesus já perceberam que Roberto é um susto. Se ganharmos a liga Europa com este homem em campo será um milagre.

Maxi- Tremendo. Com aquele homem não há meio-termo, é sempre a lutar, é sempre a correr, é sempre para partir. Adoro Maxi.

Luisão- Seguro como sempre e cada vez mais o general do Benfica. Não tem acompanhamento.

Jardel- Fez 1 golo e só por si foi importante, mas tem acusado o factor equipa grande. Há 2 meses estava em Olhão e de repente está na Liga Europa. Ao Benfica falta alguém que acompanhe a segurança de Luisão.















Coentrão- Olha outro que tal, com este é prego a fundo. Deixa a plateia louca porque também ele é louco em campo. É um fenómeno.

Garcia- Foi certinho e seguro. No geral esteve muito bem.

Martins- Fez o que pode. Foi maestro e ao mesmo tempo ala. É complicado até porque ele tem pouca caixa para aguentar tudo isto. Mas esteve bem.

Peixoto- Esteve desaparecido em combate.

Aimar- Grande jogo de Aimar. Surpreendente vê-lo aos 85 minutos a fazer piques para trás e para a frente. Que pena não jogar na 2ª mão.

Saviola- Este não é o Saviola do ano passado: Fisicamente está longe.

Cardozo- Apesar de pouco correr, pouco lutar e levar os adeptos à loucura com algumas decisões, acaba por ser um dos homens do jogo. Porque mete uma bola no poste, poste está no 1º golo, e porque faz o 2º. E que golo. Um livre à Cardozo. Ai se os penalties fossem marcados mais atrás.....

Airton- Entrou para segurar.

Gaitán- Foi infeliz. Fez tudo mal. Nota-se que nem treinou esta semana. Deposito nele grandes esperanças em Braga.

Jara- Outro de quem espera mais mas foi infeliz. Em Braga pode ser um homem chave.

Jesus- Mexeu mal na equipa, e também é culpado do estado físico da equipa (Por volta dos 80 minutos, meia equipa precisava de ser substituída). Mas também é o homem que nos coloca envolvidos neste sonho.

Incentivos sem nexo

Se for verdade, parece-me desnecessário, oferecer incentivos ao plantel do Benfica para ganhar a liga Europa. Tinha nexo, dar prémio para a reconquista do campeonato, por várias razões. Por um lado porque era importante reconquistar a liga por uma questão de marcar posições para um novo ciclo no futebol luso. Depois porque sabíamos que os azuis e brancos este ano iam mover mundos e fundos e olegários e xistras para voltar a ganhar. Isso sim, seria um desafio.
Agora…. oferecer prémio por um título que todos gostariam de ganhar. O facto de o ganharem é prémio suficiente. Quantos jogadores do Benfica ganharam uma prova europeia??? Saviola (Uefa-Sevilha), Aimar (Uefa-Valência), Sálvio (Liga Europa- Atlético), mais ninguém. Saviola e Aimar já ganham fortunas e Sálvio nem vai jogar. Acho desnecessário…..

Rápido e em Força

Caros Benfiquistas,
49 anos à espera de um título europeu. Agora é altura de deixar de lado os assobios e a tristeza e apoiar o Benfica. Os adeptos portaram-se bem apesar de terem gritado pouco pelo Benfica. Aguentaram até aos 91 minutos. a partir daí começaram a assobiar os atrasos ao Roberto. Não era altura para heróis, era altura de segurar o jogo. Como diria o Presidente do Conselho, “[Para Dublin], rápido e em força”.

Prognósticos? Só no fim...


Andam loucos por aí - em qualquer canal televisivo, em qualquer periódico, em qualquer pergunta mais tendenciosa - que nos querem levar a crer que numa meia-final europeia é mau ganhar por 2-1! A outra equipa não é de valor. Só o é no 2º jogo.

Ora eu pergunto, e gostava de ouvir as respostas dos mesmos srs:
Se o resultado fosse ao contrário era recuperável para o Benfica?
Se o resultado fosse 1-1 era positivo?
E se o Benfica tivesse goleado, haveria chance para o clube minhoto passar?
Ou seria melhor o Benfica perder e haver choradinho de 300h em horário nobre?

Ah pois, se calhar o Benfica hoje em dia - fruto de qualquer investimento obscuro - é alvo de notoriedade negativa, onde é necessário mal-dizer, denegrir e achincalhar, mas acima de tudo deixar/colocar dúvidas: sobre a equipa, treinador, presidente, cortador de relva, um dia também serão os adeptos e hoje até ouvi que "os médicos já não assistem o jogador mas vêm apenas o jogo deixando Jesus irritado" (este último é verdade e deu na SICk) e isso também vende.

Já quase imagino as respostas dos esclarecidos suínos que nunca tocaram numa bola:
"Até ao lavar das cestas é vindima."
"No futebol não há impossíveis..."
"Já mostrou intranquilidade antes..."
"O SC Braga pode dar a volta..."

Enfim, eu cá já não tenho pachorra para os aturar.
Dizem os pseudo-comentadores - rotinados na mesma doutrina e constatando o óbvio, mas questionando e colocando sempre em dúvida o Benfica - que o "Benfica não tem plano B", "que é perigoso", "que o Fruta Calheiros e Put#s é melhor", "que o clube minhoto pode chegar a Dublin", "O Aimar não vai jogar. O jogo marcado pelo minuto 51", "acreditem pane...gueirros", etc.

Mas e a neutralidade? Só os do Minho a receber encorajamento e motivação televisiva?
Porque razão o Benfica não toma atitudes para evitar este tipo de situações de escárnio e mal-dizer? Afinal a comunicação social desportiva vive literalmente à conta do Benfica. Imaginem fechar-lhes o acesso a declarações, imagens e/ou conteúdos de valor?

NOTE-SE: O Benfica parte em vantagem!
É possível o Benfica ser eliminado? Claro.
Mas seria melhor ir com um resultado empatado ou em desvantagem? Eu cá, que não percebo nada disto, não acho...mas também não sou um especialista-técnico-táctico-vidente-astrológo, logo a minha opinião vale o que vale...

Nas eliminatórias anteriores, o Benfica sentiu dificuldades e ultrapassou-as, mesmo com resultados iguais. Mas porque é o azulado do Minho, as coisas podem - vão - ser muito complicadas - tendencialmente para a derrota - para o Benfica. Onde chega o escárnio e a arrogância...

Esse colosso minhoto, não terá que jogar contra 11 jogadores motivados também, não terá dificuldades de impor jogo e sua táctica de "contra-golpe" (como diz o Messias), não precisará de ganhar (pelo menos por uma bola a zero), não precisará de correr e disputar bolas (os jogadores do Benfica não correm, não andam e entram em campo sem força anímica. Até ouvi dizer que já não recebem há 5 meses), não terá razões de preocupação na formação do plantel tais são as soluções (o Vandinho é facilmente substituível, já o Aimar...), não necessitará de encher o estádio apenas com pessoal da terrinha adepta do clube (atirem bolas de golf e agridam os jogadores e a reacção da UEFA será branda), não precisará de isenção na arbitragem (apesar de não saber quem é, o que importa é que mesmo estrangeiro pertence ao sindicato do freixo), nem precisará de acima de tudo marcar golos! Tudo fácil, tudo simples, contra o Benfica, esse clube 2º classificado do campeonato português com uma diferença de 14 pontos no momento para o outro meia-finalista da competição.

Conseguem perceber o que querem que o Povo acredite? Mensagens subliminares em catadupa, que sendo mentira tornar-se-ão verdade se repetidas muitas vezes! E fazem mossa...

Eu próprio, que assisti aos 90 minutos de jogo (+descontos), depois de tanta inverdade estou na dúvida se realmente o Benfica ganhou ou se foi o azulado do Minho a vencer! Quem sai derrotado pelo que se percebe, quem sai vergado pela humilhação, vergonha e miséria deve ser o...Benfica?

Recorrendo "ao poder negro da força azulada" até receio dizer que se calhar voltará a estar tudo preparado para que isso aconteça. Mas eu acredito nos Jedi do Glorioso e na queda do império! (se o Domingos for para a savana verde, será que os minhotos serão competitivos?)

Eu continuo a acreditar numa final portuguesa em Dublin, onde vai estar lá o meu Benfica, se jogarmos com alma, vontade, garra e querer. E que respeite o adversário, algo que actualmente ninguém faz (chega a parecer absurdo o comportamento dos restantes adeptos, carregados de agressividade à semelhança dos andrades. Contágio? Imitação? Má-educação? Seja o que for é tempo de se corrigir e nós podemos faze-lo.)

O resto? "Que lo continuen chúpando..."

O que temos de bom?

De forma simples e rápida - como hoje vai ser apanágio - mostro-vos esta apresentação que partilharam num blog benfiquista, realizado por uma figura de topo da direcção.

Vejam o que temos de bom, percebam o trabalho realizado e o que pode ser conseguido e se possível vejam a capa da bola e perguntem-se se querem aquilo.

BENFICAAAAA - Venham eles!

Queria que os meus amigos benfiquistas se deslumbrassem com a última vez que estivemos numa meia-final - aconteceu à 17 anos atrás, e eu vi em casa este jogo estrondoso.

Atentem por favor no seguinte:

- O onze titular: fantástico;
- A prestação de Rui Costa;
- O estádio a vibrar e a puxar pela equipa;
- Os italianos desesperados - no final do jogo, andaram a correr à volta do campo, como castigo!

Hoje, temos mais! Venham eles! ;)

terça-feira, 26 de abril de 2011

A ver se nos entendemos Benfiquistas...

Ora bem meus caros, depois de tanta preocupação, irritação e maledicência que li por aí de alguns ilustres e sapientes blogger benfiquistas, resolvi eu também vir a terreiro fazer o chamado 2-em-1: um Mea culpa e um Calma aí!

Mea Culpa porque também eu me sinto mal pelo Benfica desta época e suas falhas, mas um Calma aí! que nem tudo está errado, mal ou deve ser mudado.

Estamos irritados pelo Benfica não estar esta época a apresentar um futebol de qualidade? Sim.
Queremos vender tudo e todos, dispensar treinador e presidente, junto com tudo o que é cargo directivo do clube? É claro que não, calma aí!

Se os simpáticos leitores são do tempo das personagens que vou enumerar - em trios - para ser mais simples percebem que não quero nada saber de reformas, revoluções ou despedimentos em série, vocês poderão fazer os vossos exercícios mentais pessoais e depois questionem-se sobre o que foi verdadeiramente conquistado na passagem das "ilustres" figuras pelo nosso clube.

São eles: Jorge de Brito, Manuel Damásio, Vale e Azevedo; Artur Jorge, Graeme Souness, Quique Flores, King, Paredão, Javier Balboa; Tenebroso verdade?

Já escrevi neste mesmo blog que a diferença do ano passado para este, foi uma questão de preparação. Menos adequada pelo Benfica, mais pormenorizada pelo clube do freixo.

Cito o que disse: "Diferenças? É que a derrota do ano passado, serviu para os lados do Freixo (serve quase sempre) para se preparem de forma eficaz - dentro e fora de campo - para novas conquistas, para apetrechar a equipa, para lhe dar novo sentido técnico-táctico, para melhorar o seu desempenho e se possível encarreirar para novo ciclo de vitórias, durante muito tempo. E só um cego não é capaz de ver isso! Há quem lhe chame cultura vencedora e é capaz de ter razão sim sr."

Eles perderam na última época, tiveram desaires humilhantes nas competições internas e externas, têm grandes investimentos realizados e escassas receitas para fazer face. O que lhes restava? Preparar-se adequadamente, acrescentar valor ao plantel e controlar a opinião pública.

Sim. Um dos trabalhos mais minuciosos e de maior impacto nesta época, foi o controlo - muito superior ao que vinha sendo feito, por Ribeiro Telles e outros que tais - da opinião pública, ao jeito obscuro e subreptício dos andrades. As críticas no momento certo, o aproveitamento das falhas para achincalharem, a cultura do medo para os menos resilientes e obviamente um trabalho de fundo na arbitragem portuguesa. Foi um trabalho encomendado, com óptimos resultados.

Não havia outra hipótese, caros amigos! Os mafiosos estão nas lonas, facto comprovado pelos ordenados em atraso desde Janeiro último, das várias modalidades do clube azulado. Para um clube pequeno e sem grandes apoios financeiros, ser campeão nacional e poder assegurar lugares para a Liga dos campeões é essencial!

E essencial é fazer alguns benfiquistas incautos acreditar que tudo está perdido, que o plantel não tem valor, que a equipa técnica é medíocre e que o rumo do clube nos últimos anos deve ser totalmente alterado.

Que dizer então da época passada?
Que dizer então do melhor futebol praticado desde que me conheço? (Não sentem profunda alegria quando o futebol de ataque do Benfica embala para a humilhar o adversário?)
Que dizer da recuperação sócio-económica levada a cabo pelo corpo dirigente?
Que dizer das grandes obras de desenvolvimento e de futuro encaixe económico que o Benfica encetou?

Para expressar bem o meu sentimento, para os anormais que dizem que a época do Benfica é má, que dizer da lagartagem? Morreram? Bem, pelo contrário...

Aproveitam hoje, o momento terrível em que se encontram para estruturar ideias, resolver conflitos e problemas e preparar em grande a próxima época. (Pessoalmente fico contente. É sempre mais uma equipa a tentar quebrar os "poderes instituídos" no Norte, dois lugares para quatro é complicado...o clube do freixo ajudará os amigos de alvalade ou os primos do Minho?)

Seja como for, é isso que é necessário: meditação e trabalho de continuidade.

Querer vencer todos querem, mas só os mais preparados e mais constantes ganham - talvez por isso nos últimos anos vejamos com agrado a intromissão dos minhotos nas lutas internas, não fosse o facto de serem azulados desde então.

O que se pede aqui meus amigos, é preparação adequada!
Encontrar falhas e corrigir erros faz parte do trabalho.
Delinear alternativas e traçar estratégias de futuro também!
Procurar acrescentar valor ao plantel, principalmente às 2ªs opções (banco) que este ano estiveram escassas.

Continuar o desenvolvimento do clube em termos económicos e sociais: o Benfica hoje tem poder negocial e entradas de dinheiro como nunca. Se isso não é bom trabalho desenvolvido o que será?

Portanto camaradas assustadiços e ferozes opositores do Glorioso, Calma aí! que estaremos na luta para a próxima época em grande!

Seix Milhões que podem valer trinta ou zero!


É um exercício mental arriscado o que aqui vou fazer. Mas não vou deixar de o fazer.
E gostava que dessem a vossa opinião sobre o texto e a figura que se segue.

Ainda que o título possa ser confuso, passo a explicar que na realidade até é bastante simples.
O Benfica gastou seis milhões de euros - não sendo um valor "elevado" é dos maiores de sempre - na contratação de Bruno César Zanaki, médio criativo-ofensivo brasileiro, ex-Corinthians, de 22 anos de idade, jogador que integrará o plantel encarnado a partir de 1 de Junho.

O jogador contratado tem já no seu contrato uma cláusula de rescisão de trinta milhões, para os próximos seis anos.

E perguntam vocês, porque razão quero falar de um jogador que não conheço?
Talvez porque me parece um investimento de peso, talvez pelo que leio me deixe - no mínimo - desconfiado e fundamentalmente porque "é" atleta do Benfica. Senão consideremos o seguinte:

- O jogador é novo (22 anos), mas tem já experiência competitiva num dos "grandes" do futebol brasileiro. No entanto, questiono-me sobre a adaptação do jogador ao nosso futebol (mais rápido, mais agressivo, mais marcações, mais táctico) e tremo só de pensar que o jogador siga os passos de outros sul-americanos que por cá passaram;

- Não era titular no seu clube, ainda que o tenha sido com sucesso no passado e volte agora a ser opção válida para o treinador. Que tem valor futebolístico, isso é indiscutível!

- Comportamento fora do relvado: Teve alguns problemas nos últimos tempos, e o próprio esclarece: "As pessoas confundem, dizem que voltei com peso a mais, que discuti com o Ronaldo, que estava muito estrela, que estava sempre na noite. O meu comportamento é o mesmo, estando na reserva ou não. Ninguém é de ferro, toda a gente sai. Claro que há o momento certo para sair. Na minha folga, vou sair." Saídas? Balada? Folga? Espero que o Luisão o convide para as suas festas em casa e não o deixem sair muito por cá;

- Expectativas do jogador: Não nos enganemos, as motivações de um jogador que sai do seu país para vir "jogar/trabalhar" para outro, terá sempre motivações financeiras. No entanto os seus objectivos são bem claros: "Primeiramente, tenho de chegar e mostrar o meu futebol. É claro que o Benfica é uma ponte aérea. O Ramires ficou pouco tempo lá e foi vendido por milhões, o David Luiz também. Mas tenho de dar uma resposta para justificar porque fui contratado".

Sobre este ponto, refiro que não estranho esta atitude! O jogador Angel Di Maria também declarou aquando da sua passagem pelo Benfica que gostaria de "voar" para outro grande europeu. Motivação $extra$ é bom para o Benfica, ainda que seja sempre triste ver alguém entrar a pensar já em sair.

- Expectativas do pai do jogador: Pai será sempre suspeito para falar, porque quer o melhor para o filho. Neste caso o sr. Gilmar Zanaki diz: "O Bruno vai ser uma referência, como o Liedson foi! E se não tiver muitas oportunidades de jogar na selecção brasileira, faz como o Liedson também e naturaliza-se português. Joga na selecção portuguesa sem problemas!". De referir, que o jogador também tem ascendência italiana. Tantas certezas e sem problemas de maior, à boa maneira brasileira;

- Prognósticos do sr. Gilmar: "Só pensa em ser campeão! Ele foi para uma grande equipa e podem ficar sossegados que, juntamente com os outros brasileiros, ele vai ser destaque! É jogador de explosão(...)Ele é como o Tévez! Não é por ser meu filho, mas é muito bom jogador", frisa, orgulhoso. Sendo brasileiro e ainda parecido com um argentino, só pode ser óptimo para a integração no plantel encarnado;

- Opinião de Argel sobre Bruno: "Não é boa, é uma grande contratação. Como benfiquista, fiquei muito contente. É um médio-ofensivo de grande qualidade, muito rápido, agressivo, joga atrás dos avançados, vai encaixar-se muito bem. Guardadas as devidas proporções, ele é um Aimar. Mas é ainda jovem, muito jovem. No entanto, é um gajo já com experiência.(...) faz-me lembrar também um dos melhores jogadores que eu vi jogar, o Zahovic. Mas faz-me lembrar o Zahovic do FC Porto, que era fantástico. E o Bruno é fantástico também. Para mim, o Benfica contratou o melhor esquerdino do futebol brasileiro actual, melhor do que o Roger ou do que o Diego Souza". O antigo central do Benfica pelos vistos sabe do que fala. Mas serei eu apenas a ver semelhanças entre Roger e Bruno? O Diego Souza também passou por cá, lembram-se? Resta-nos a imagem de Zahovic nesta comparação. Seria fantástico!

- Comportamento em campo: Existem inúmeros vídeos do jogador espalhados pela Internet, mas recentemente vi este:

Faz-me sempre confusão, estas montagens de vídeo que depois se divulgam pela Internet. Note-se que não vimos muito do jogador, mas o "realizador" procurou focar as atitudes menos positivas do jogador e as suas perdidas incríveis. Pelo visto, Bruno só deve ter jogado 10 mins.

É por estas (considerações) e por outras, que tenho reservas sobre o valor do investimento gasto neste jogador. Não duvidando do seu valor futebolístico, questiono a sua adaptabilidade à vida e futebol europeu. Questiono a integração no plantel, evolução e produção como jogador-chave.

Lembro-me de Roger, - verdadeiro astro no futebol brasileiro- que me deliciava com os seus pormenores de classe em campo, mas que não deixou mais do que isso no nosso Benfica. Hoje são outros tempos e temos outros jogadores, mas confesso que fico assustado sempre que se investe num jogador que me parece ainda não ter "estaleca mental" para se afirmar no Glorioso.

E se contratar alguém "à distância" e que não sente o que é o Benfica é arriscado, mais difícil de compreender é quando há por cá soluções de valor para serem opção, jogadores do plantel que até estão emprestados e são já cobiçados, como é exemplo David Simão.

Espero que o jogador - Bruno César, se me estás a ler - me dê uma ou várias bofetadas de luva branca e se afirme em grande no nosso Benfica e nos traga títulos e muitas vitórias. Até lá, aguardo com expectativa a chegada do jogador e as vossas opiniões! ;)

Referências:
Gilmar Zanaki - OJogo
Bruno César - Ponte aérea
Bruno César - Saída para o Benfica
Argel - Bruno César deixou-o de cabelos em pé

segunda-feira, 25 de abril de 2011

GARRA BENFIQUISTA


Na próxima quinta-feira é a doer!!!

Senão veja-se todas as considerações que a UEFA faz sobre o próximo jogo: prematch.

GARRA e DEDICAÇÃO é o que se pede aos nossos jogadores.

Os do Minho vêm para se vingar, e doutrinados pelos azuis vêm para tentar tudo para levar de vencida o nosso Benfica.

Quinta-feira, aos olhos do mundo teremos Benfica contra todos os outros, em transmissão televisiva tendenciosa, como é apanágio.

A diferença é que em campo espera-se mais isenção pelos srs. do apito que vêm de fora de Portugal. Pode ser que assim as coisas fiquem mais niveladas, até porque estamos fartos de jogar sempre contra 15.

Se ainda há orgulho, garra e dedicação nos nossos jogadores - que não duvido - é o momento de o mostrarem à nação encarnada! Estamos convosco rapazes!

domingo, 24 de abril de 2011

Primeira conquista 2010/2011

A Taça da Liga, foi a primeira conquista desta época. No máximo só poderemos ganhar mais uma, a europeia. E porque houve anos em que não ganhamos nada, este ano é melhor que muitos do passado.
Ainda assim, um ano inteiro e ganhar apenas a Taça da Liga, obviamente é pouco e decepcionante, sobretudo porque ao contrário de outras épocas, esta equipa não é mediocre, é até muito boa. Mas depende muito das suas asas, Gaitán e Sálvio. Nenhum dos dois jogou em Coimbra.
Foi um jogo menos bom. O Benfica ficou marcado pela derrota da taça. Há que recuperar, porque a Liga Europa pode claramente salvar a época. Moreira esteve na baliza e deu indicações de que tanto ele como Júlio César são mais seguros que Roberto. Cardozo foi o mesmo de sempre, quase nulo. O jogo esteve tremido, mas Moreira defendeu um penalty e manteve o Benfica na frente. Como já é normal, houve um penalty a favor do Benfica, sobre Saviola, que Proença não viu. Este ano a vergonha está mais que instalada, eu diria que faz parte das regras. No final os adeptos não foram simpáticos com a equipa. A exigência é alta na luz e não aceitamos uma época com uma Taça ganha a meio-gás. A Europa vem aí e com exibições dessas o Braga acaba connosco. Uma noite europeia de arrastar é preciso para voarmos para Dublin. E uma vez lá a Europa volta a reunir-se para empurrar o Benfica. Aos jogadores faço um apelo. Há Portugueses na França, na Alemanha, na Espanha, na Bélgica, na Holanda, Luxemburgo, em África, na Venezuela, no Brasil e cá no burgo, que sonham com um título europeu à 49 anos. Não nos desiludam......

sábado, 23 de abril de 2011

A visão de outros Benfiquistas (RedMoon em Blog Geração Benfica)

Caros benfiquistas,
Transcrevi do blog Geração Benfica esta visão lúcida sobre os problemas do Benfica. Concordo totalmente e por isso, depois de autorizado pelo autor, coloquei aqui para todos lerem e comentarem. Está na hora Benfica, de te ergueres, não por uma época, mas por uma década.


"LFV só tem um caminho: ganhar, ganhar, ou ir embora.
Doeu. E de que maneira. Nos últimos anos terá sido mesmo a derrota mais dolorosa. Mais uma vez com o nosso maior adversário. Mais uma vez no nosso estádio. Mais uma vez sem contemplações!
A verdade nua e crua salta à vista. O Porto é melhor. Nesta altura, muito melhor. Esta era, como todos sabemos, uma época crucial. Poderia ter sido, definitivamente a época da viragem. E numa época tão importante como esta, o Porto foi letal, uma vez mais.

Vê-se nos olhos dos jogadores do Porto o quanto querem cada vitória. Vê-se nos seus olhos a mentalidade guerreira, o olhar assassino, a frieza própria de quem sabe que é melhor e está habituado aos grandes momentos... Vê-se a força de uma cidade...

Sim, porque eu costumava pensar que era defeito o Porto ter sempre fracassado no seu desígnio de se tornar um clube nacional... Enganei-me. De facto, o regionalismo é a sua força, o seu culto, a sua identidade. É um clube com um código genético próprio e que sabe o que representa: Representa a oposição ao poder das massas, ao poder de Lisboa, em suma, ao Benfica, clube que representa tudo o que eles odeiam. Isso, quer queiramos quer não tem muita força, é essa a camisola que os jogadores do Porto vestem. A identidade faz muita falta a uma equipa, e acho que é essa identidade, saber aquilo que se representa, que em tempos o Benfica teve e hoje não tem.

Podem-se sempre encontrar factores que ajudem a explicar o sucesso ou insucesso. Pode-se sempre criticar o que temos, criar um ideal, ambicionar encontrar para nós um Pinto da Costa por exemplo, tarefa tão impossível como ambicionar encontrar um novo Mourinho. A verdade é que Pinto da Costa nunca faria no Benfica aquilo que foi capaz de fazer no Porto, porque a força do Porto alimentou-se do ódio e da revolta bairrista contra os poderes instalados. Contra que é que se iria revoltar o Benfica, clube que sempre teve tudo? O Benfica nunca vai ter sucesso se tentar copiar o modelo do Porto.

Alguns dizem que o Vieira não sente o clube... Que o Vieira não está no clube a tempo inteiro... Há obviamente vários factores que ajudam a explicar o fracasso mas, caramba, o Abrahmovic também não sente o Chelsea desde pequenino, o Glazer também não chora pelo United, isso em si não é um problema desde que se seja competente e se tomem boas decisões.

No fundo, apesar de outros factores, o essencial, aquilo que faz quase sempre a diferença entre o sucesso e o insucesso no futebol é a qualidade dos planteis. E o do Porto é melhor, quer queiramos quer não. Este Porto seria candidato a uma final da Liga dos Campeões. E o Benfica?

O Benfica tem 13 bons jogadores e acaba aí. Se Maxi se aleija, a equipa fica coxa; se Sálvio e Gaitan encostam, a equipa não tem asas nem velocidade. Jorge Jesus é refém da falta de soluções, refém da falta de jogadores já feitos e com outra maturidade mas, também responsável pelas insuficiências demonstradas. Responsável, porque há ali segundas linhas que custaram muito dinheiro e simplesmente não servem. Este ano partimos para a guerra com "meninos", essa é que é essa.
Jara por exemplo, pode vir a ser um excelente jogador mas, neste momento é um Sabry, inculto tacticamente, sem noção das vezes em que perde bolas que colocam a equipa em dificuldades. Com Mourinho, encostava logo e levava com um curso intensivo de jogo colectivo. Kardec está verde. Saviola só a espaços apareceu. Cardozo esteve ausente e fez frete a época inteira.

Jorge Jesus tem culpas no cartório? Evidentemente. Começando em algumas escolhas que fez e acabando num discurso provinciano de balofice desnecessária e auto-endeusamento. Jorge Jesus deve sair do Benfica? Evidentemente que não. É o melhor que o Benfica teve em vinte anos, e deve ser capaz de evoluir e aprender com os erros. Dá para imaginar o que Jorge Jesus faria com este plantel, mais Falcão, Álvaro Pereira, James (que escaparam debaixo dos nosso nariz), e ainda Di Maria, Ramirez e David Luiz? E ainda com mais um ou outro jogador maduro, que pediu e nunca chegou?
Para o fim deixei a Direcção, e vou tentar ser coerente com aquilo que sempre disse. Este presidente fez muita coisa boa nestes 10 anos, herdou uma situação dificílima, para mais quando aliado à situação difícil do clube, teve pela frente o melhor Porto de sempre, o Porto de Mourinho e o que se lhe seguiu. Entendo que o fracasso desportivo dos últimos 10 anos está associado a esses dois factores, indiscutivelmente.
E tenho sido apoiante de LFV, e seu defensor também, essencialmente porque neste blogue está permanentemente a ser atacado, às vezes justamente e, na minha opinião, muitas vezes com argumentos totalmente descabidos. Mas diga-se, aqueles que não gostam e escrevem contra o presidente têm toda a legitimidade para o fazer, e todos os que o fazem não são mais nem menos Benfiquistas do que eu.Pessoalmente, sempre fiz um esforço para compreender que, por muito que queiramos no futebol não há milagres, e que os mandatos anteriores foram, nas palavras do presidente, os mandatos da recuperação do clube e da criação das bases do o sucesso futuro. Entendi por isso dar-lhe o benefício da dúvida quando, nas últimas eleições anunciou que este seria o mandato do sucesso desportivo. Entendi que LFV merecia essa oportunidade.

E mantenho-me fiel ao meu desígnio. É o sucesso desportivo que nas próximas eleições vai ser avaliado. Acho que LFV, mais do que ninguém, tem noção desse facto: só o sucesso desportivo o pode salvar.
LFV não marca golos nem perde bolas a meio campo mas, é responsável pelo projecto, responsável pela escolha dos recursos humanos, responsável pelas vendas de jogadores importantes e pelas contratações falhadas. E se no primeiro ano do novo mandato o sucesso lhe deu crédito, este segundo ano ameaça retirar-lhe todo o credito acumulado. Apesar disso, esta época, não podendo ser já brilhante, ainda pode ser salva mas, é obvio que para LFV o balão de oxigénio se está a esgotar.Termino por isso, da mesma forma que terminei há vários meses num post similar: Este não é mais o mandato da recuperação do clube. A missão de derrubar este grande FCP é difícil, para mais quando para a próxima época Pinto da Costa já anunciou o maior orçamento da história do clube. Mas este foi anunciado como o mandato do sucesso desportivo, e LFV só tem um caminho: ganhar, ganhar, ou ir embora.
PS. Os adeptos e sócios do Benfica têm evidentemente o direito à crítica, ao aplauso e à indignação. Mas seria bom que todos percebêssemos que o Benfica não é feito de taças nem de latão. O Benfica são as pessoas, somos todos nós, para o bem e para o mal. Eu não sou do Benfica das bolas de golf, das luzes apagadas ou dos motins que se anunciam. Exige-se calma, respeito e ponderação. No Sporting os sócios também "sabiam", também precisavam de comprar uma guerra e encontrar um culpado. Correram com Paulo Bento. Foi o princípio do fim."

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Erros que subsistem!

São vários os "pequenos"erros que separam o sucesso do FCPorto, do Benfica que é campeão um ano de cada vez.

1- O primeiro grande erro do Benfica dos últimos 20 anos é sem dúvida a falta de garra geral. Garra que tem de partir de dentro, para os jogadores. Para mim é óbvio que o FCPorto não vale tudo isto, mas a garra da equipa acrescenta sempre mais 15 a 20% ao valor final do plantel. Ganham-se muitos jogos pela garra e perdem-se muitos só pelo talento. O Benfica do tempo de Humberto Coelho ganhava jogos pelo talento e por garra. O último Benfica com garra foi o de Trapattoni. Tecnicamente fraco, aquele Benfica foi campeão, muito por culpa do treinador e também de Álvaro, o adjunto.
O Benfica tinha que ter dado tudo para não perder 2 jogos em casa contra o Porto no mesmo mês. A falta de vontade de alguns jogadores em correr chega a ser assustadora. A maneira como Cardozo nos faz o favor de andar em campo é angustiante. A maneira como deitamos ao lixo vantagens preciosas como a de ontem e a de Eindhoven chega a ser um caso de estudo. Sobretudo a maneira como a equipa paralisa a ver o adversário jogar. Ontem o FCPorto faz 3 golos em menos de 20 minutos. Na Holanda aos 25' já estávamos a fazer contas à vida. Não há garra para dizer BASTA???


2- A falta de garra leva-nos a um outro problema. As dificuldades que temos para “aguentar” ambientes difíceis. Isto já é um problema do ano passado. Na época passada perdemos em Braga, Dragão, Liverpool porque o ambiente era hostil. Uma equipa grande deve gostar destes jogos e não ter medo deles. Este ano novamente Braga, Dragão, Guimarães. E agora também na luz contra a garra do FCPorto.
A ideia com que fico é que para ganhar ao Benfica, basta juntar uns arruaceiros, reunir uns paus e pedras, berrar muito e os jogadores ficam assustados.

3- O terceiro erro que denoto este ano é algo ainda maior do que tudo isto. É a dúvida de perceber se o título do ano passado foi um sucesso do Benfica de Jesus ou se foi um sucesso do Benfica que tinha como treinador Jesus. A mim parece-me que se calhar Jesus sobrepôs-se ao Benfica. Se ele sair ficamos órfãos outra vez. Importante era ele chegar, vencer, um dia ir embora, entrar outro e ganharmos outra vez. Temo que isso não seja assim. A dada altura do fim da época passada Jesus chegou a dizer que "no próximo ano se puder ganhar a Champions não vou desperdiçar essa oportunidade". Como não acredito que Vieira lhe tenha pedido a Champions, deduzo que Jesus decidiu por ele a agenda do Benfica. Ele não passa de um empregado do clube, que treina para ganhar o que a direcção lhe pede. Jesus reinventou o futebol do Benfica, disso não tenhamos dúvida, mas a substituição de Quim por Roberto, a teimosia em manter Cardozo a bater penalidades são tudo decisões de um treinador que não sente a pressão da direcção para ganhar.

4- Um erro que eu não esperava do Benfica era o de descer ao nível de quem nos odeia. O Benfica orgulha-se de ser diferente, de não perseguir, de não pactuar com a corrupção, etc...etc...etc...
Este mês de Abril manchou essa ideia que também eu tinha do Benfica. E não me refiro ao apagão, que me parece um caso menor. Afinal de contas, nestas duas últimas recepções aos azuis e brancos, também vimos bolas de golfe (em muitos menos número é verdade), isqueiros (em muitos menos número é verdade), casas de adeptos do clube rival vandalizadas, violência por parte de ??adeptos??, incitamento à violência no canal do clube, enfim, coisas que já vimos serem atiradas no nosso sentido e que não pensei que as devolvêssemos no mesmo tom.

Superioridade, caros amigos, superioridade.

Ser superior é amar o Benfica e não odiar o adversário, é não responder às provocações (os cães ladram e a caravana passa), é fazer coisas próprias de gente civilizada e superior. Espero que em breve, não comecem as claques do Benfica a lançar cânticos com insulto aos adversários!!!!!!
Isto é tão lamentável, quanto o facto de nem sequer sermos bons nessa temática. Alguns dos nossos adversários são mestres nessa matéria. Organizam, combinam, simulam, agridem e no final saem como vitimas. Nós não nascemos para isso.
Em vez de andarmos à pancada contra os outros, andamos contra a ….. polícia. Nas várias trocas de bocas com o adversário saímos quase sempre a perder.
E tudo isso porque, como diz Leonor Pinhão "Numa discussão entre labregos, ganha sempre o maior labrego" ou seja o que faz da sua profissão ser labrego.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Cultura da Derrota! - parte III



Acima de tudo procuro ser um benfiquista atento e crítico. Em todo o seu ecletismo, confesso que no Benfica me atrai mais o futebol. Mas, se aplaudo e vibro com vitórias, não poderei deixar de fazer o trabalho de análise ao que correu mal para obviamente melhorar nos desaires.

Para mim, é nos momentos de desânimo que se deve fazer um mea culpa e avaliar de forma correcta as opções e estratégias a tomar. Não me parece credível, continuar-se a semear esta cultura recente - despesista, sem acréscimo de valor, sem empenho - e não se colher tempestades!

Acima de tudo, há que manter uma coerência estratégica, um trabalho a longo prazo, um crescimento sustentável, uma cultura diferente da praticada nos últimos anos.

Não se aprendeu nada com o passado? Ou à semelhança do país, caímos sempre no mesmo erro?

Como qualquer benfiquista, vejo coisas positivas no meu clube, mas anseio mais, quero muito mais! Quero vibrar com o meu clube e acima de tudo poder disputar qualquer competição, qualquer jogo com garra, querer e vontade de ganhar, com argumentos em campo capazes.

Por isso, o que se espera para o Futuro?
Acasos fortuitos de conquista ou anos e anos de humilhação?
Uma cultura de derrota ou de vitória?

Chega de arrogância, queremos trabalho e dedicação.

E por isso, depois de tanto escrevinhar aqui, sou da opinião que as estratégias de futuro, fazem-se conhecendo o passado, mas sobretudo analisando o presente e todas as condicionantes hoje e de amanhã que possam surgir.

Conhecendo a realidade do clube, sabemos que caminho devemos seguir, sem subterfúgios, sem ilusões de grandeza, sem nos enganarmos a nós próprios.

Fazendo o Benfica, objecto de estudo do marketing, poder-se-iam chegar a considerações muito interessantes, sobre o caminho a seguir.

Aliás convido-vos a fazer comigo, uma simples análise SWOT (Pontos Fortes, Pontos Fracos, Oportunidades e Fraquezas) individualmente sobre o plantel actual e sobre o clube, e por certo ficaríamos todos a conhecer o que "temos em mãos".

O futuro a Deus pertence, mas a continuar assim acredito que Ele seja portista.
Farto de assistir e vivenciar derrotas. Quero ganhar cara#ho!!

A Cultura da Derrota! - parte II




Ao contrário, o meu Benfica vence com todo o mérito, passado algum tempo de marasmo e faz o quê?

- Formula desejos irrealistas - vencer a Champions - colocando pressão nos jogadores, quando a equipa não tem experiência competitiva suficiente nas provas europeias. Não confundir moralizar com enganar.

- Prepara de forma deficiente a pré-época: impasses negociais vários, poucos jogadores a absorver cultura táctica e mudanças de jogo, nítida falta de forma da maior parte do plantel. Reflecte-se nos jogos disputados, quase sempre por culpa da crónica falta de adaptação - há quem chame: falta de jeito - de um guarda-redes adquirido a "peso de ouro" e quanto a mim perde o campeonato - repito: campeonato - no primeiro embate oficial com o FCP. Nesse jogo, perde também a Supertaça. Um dois em um, de forma tão precoce!

- Vende/dispensa jogadores fantásticos - pelo menos para a estrutura desportiva do Benfica - e demora a arranjar soluções alternativas eficazes, compra mal e vende um bocadinho melhor, há negócios e negociatas obscuros sem evidente constatação de valor e acréscimo de mais-valia para o clube, perde-se e não se repõe opções valiosas no banco de suplentes em troca de banalidades, aposta-se em opções de futuro - sem experiência e sem reunir índices técnicos semelhantes às soluções anteriores - quando o Benfica precisa igualmente de ganhar HOJE. Há valor no plantel? Sim. O nível competitivo melhorou com as opções realizadas? Na minha opinião, não.

- Privilegia um sistema táctico que faz vibrar, mas que nos fez chorar tanto também esta época - humilhados na Champions, com nítidas dificuldades na Liga Europa, com tantas derrotas na Liga, com pesados desaires na Taça, o que se seguirá?

Sem ovos, Jesus não consegue fazer omeletes, mas é da sua inteira responsabilidade - coadjuvado por Rui Costa e Vieira - as opções que toma e as considerações na construção do plantel.

Parece-me que aqui há um deslumbramento pela fartura de opções, mas pouco critério e qualidade na contratação, até porque os olheiros são bons, tantas vezes elogiados por Pinto da Costa.

Então porquê esta incapacidade de trazer valor ao plantel? A ideia principal não é fazer crescer a equipa? Melhorar opções? Não podemos tratar tudo de forma leviana e colocar "jogadores temporários, sem classe ou de pouca utilização" num plantel que se quer forte, com soluções alternativas e com espírito vencedor.

Como se motiva um jogador que não joga? Ou que joga tão pouco que é ridículo o vencimento mensal? Alguém me explique por favor...

- Ainda que as estratégias comerciais, de maior reconhecimento do clube - enquanto marca e projecto empresarial e social - e de gestão/recuperação económica sejam positivos, não parece ainda assim o suficiente. E para isso faço o seguinte parêntesis:

{Sou do tempo de Jorge de Brito e seu despesismo, Damásio e seu pseudo protagonismo - não consigo deixar de colocar aqui também Artur Jorge e seus 65 discípulos -, de Vale e Azevedo e suas patranhas, das dificuldades económicas do Benfica, das equipas de futebol medíocres, dos agiotas que se governaram à conta do nosso clube. (http://www.slbenfica.pt/Clube/Historia/Presidentes/presidentes.asp - questão: quem terá escritos os textos?)}

Por isso, sei reconhecer a recuperação sobretudo de imagem que o Benfica teve dos últimos anos, sei reconhecer o esforço, dedicação e trabalho desenvolvido, mas também sei perceber que chegados a um período mais positivo - mais encaixe, mais valorização - eis que surgem situações menos claras e aproveitamentos ilícitos.

Para além disso, continuamos "presos" a vontades externas e poderes instituídos que tanto nos prejudicam - falo do consórcio portista control(iveirinha)investe. E note-se que reconheço capacidade financeira e poder negocial como há muito não existia, mas também percebo uma nítida vontade de "se instalarem confortavelmente no poder - criando regras anti-sucessão - e beneficiar com isso".

Perigoso comportamento não acham?

(continua)

A cultura da Derrota! - parte I


Prólogo: Diga-se o que disser, o Futebol é mesmo um desporto de "outro mundo", capaz de provocar tamanha emoção e consternação entre os seus fãs. Quis o destino que o meu coração fosse benfiquista...



Hoje será mais um dia em que vou procurar fugir de ver TV, ler jornais desportivos, ouvir rádio e falar com pessoas, se o assunto for futebol. Não tenho vontade. Não há pachorra. Estou realmente farto. E venho aqui avisar isso mesmo: para mim chega, venha a próxima época!

Se há coisa que detesto solenemente é não poder argumentar contra factos evidentes e registar - porque me fazem recordar - tanta humilhação e tanta derrota de forma tão leviana.

Haverá algo a aprender nas derrotas? Dizem que sim, eu cá desconfio que na Luz ninguém o faça.
Se à primeira vitória somos imbatíveis - a insolação dos media e de alguns adeptos contagia qualquer um - o que dizer nas derrotas tão frequentes?

Particularmente nas derrotas (há que saber perder) também não me revejo na solução drástica: está tudo mal. Consigo ver coisas positivas. Mas é nas derrotas, que acredito que se pode aprender e tirar ilações, tendo como base de Vida a seguinte frase: "O doce não é tão doce, se não conhecermos o amargo!"

Por isso regozijei com o Benfica campeão e de espírito demolidor da última época, com a vontade de ganhar e a sua superioridade em campo - note-se: em campo, não nos jornais ou nos periódicos desportivos. Um pouco à semelhança do que este FCP é actualmente.

Diferenças? É que a derrota do ano passado, serviu para os lados do Freixo (serve quase sempre) para se preparem de forma eficaz - dentro e fora de campo - para novas conquistas, para apetrechar a equipa, para lhe dar novo sentido técnico-táctico, para melhorar o seu desempenho e se possível encarreirar para novo ciclo de vitórias, durante muito tempo. E só um cego não é capaz de ver isso!

Há quem lhe chame cultura vencedora e é capaz de ter razão sim sr.

(continua)

Actualização do apito - 27ª jornada + taças

Até à 27 jornada..... + Taças

FC Porto
A favor do FC Porto: 15 erros de arbitragem
Contra o FC Porto: 5 erros de arbitragem

SL Benfica
A favor do Benfica: 4 erros de arbitragem
Contra o Benfica: 14 erros de arbitragem

Sporting
A favor do Sporting: 10 erros de arbitragem
Contra o Sporting: 8 erros de arbitragem


FC Porto
Benefício FC Porto: (10 penalties / 5 golos)
Benfica (Supertaça) – Penalty por marcar contra o FC Porto
Naval (J1) – Penalty mal marcado a favor do FC Porto
Beira-Mar (J2) - Golo mal validado a favor do FCPorto
Rio Ave (J3) – Penalty por marcar contra o FC Porto
Rio Ave (J3) – Mal validado um golo a favor do FC Porto
Braga (J4) – Penalty por marcar contra o FC Porto
Nacional (J5) – Penalty por marcar contra o FC Porto
V. Guimarães (J7) – Penalty por marcar contra o FC Porto
Moreirense (Taça Portugal) – Mal anulado um golo contra Moreirense
V. Setúbal (J13) – Penalty mal marcado a favor do FC Porto
Paços Ferreira (J14) – Penalty mal marcado a favor do FC Porto
Braga (J19)- Golo mal validado a favor do FCPorto
Académica (J24)- Penalty por assinalar a favor da Académica
Sporting (J26)- Penalty por assinalar a favor Sporting
Benfica (Taça Portugal)- Golo mal validado a favor FCPorto

Prejuízo FC Porto: (4 penalties / 1 golo)
Sporting (J12) – Mal validado um golo a favor do Sporting
Paços Ferreira (J14) - Ficou por marcar 1 penalty a favor do FCPorto
Pinhalnovense (
Taça Portugal) - Ficou por marcar 1 penalty a favor do FCPorto
Beira-Mar (Taça Liga) - Ficou por marcar 1 penalty a favor do FCPorto
Leiria (J23)- Penalty por marcar a favor do FCPorto


SL Benfica
Benefício SL Benfica: (2 penalties / 2 golo)
Marítimo (J6) – Penalty por marcar contra o SL Benfica
Olhanense (J13) – Penalty por marcar contra o SL Benfica
Rio Ave (J14) – Foi mal validado um golo a favor do SL Benfica
Académica (J16) – Golo mal validado a favor do Benfica

Prejuízo SL Benfica: (11 penalties / 4 golos)
Benfica (Supertaça) – Penalty por marcar a favor do SL Benfica
Académica (J1) - Penalty por marcar a favor do SL Benfica
V. Guimarães (J4) – 2 Penalties por marcar a favor do SL Benfica
Marítimo (J6) - Penalty por marcar a favor do SL Benfica
Rio Ave (J14) - Penalty por marcar a favor do SL Benfica
Rio Ave (J14) - Mal assinalado um penalty contra o SL Benfica
Académica (J16) – 2 penalties por marcar a favor do Benfica
Olhanense (Taça Liga) - Golo mal validado a favor do Olhanense
Nacional (J17)- Penalty por marcar a favor do SL Benfica
(o lance resultou em golo, pelo que não influência o resultado final)
Rio Ave (Taça Portugal)- Penalty por marcar a favor do SL Benfica
V. Guimarães (J19)- 1 golos mal anulado
Beira-Mar (J26)- Golo mal anulado a favor Benfica
FCPorto (Taça Portugal)- Golo mal validado contra Benfica

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Mau demais...

Estou sem palavras. Tudo na mão e ... tudo perdido.
Só a Liga Europa pode reverter isto, senão teremos que considerar este ano como um ano mau.
A maneira superior como o Porto entrou na luz para ganhar acabou por ditar o vencedor.
O Benfica não foi o mesmo dos outros jogos. Normalmente o Benfica atacava à maluca e por vezes era surpreendido no contra-ataque. Hoje jogou com medo.
Hoje Jesus esteve muito muito mal, há que o dizer. Não mexeu e devia ter mexido no momento em que se percebeu que o Porto estava a começar a chegar à área do Benfica com facilidade.
Desta forma sou obrigado a admitir que apesar dos inúmeros erros de arbitragem, a favor do FCPorto, eles foram a melhor equipa do ano, e de longe.
Mesmo assim houve o empurrão amigo. Sou da opinião de que Sapunaru faz penalty sobre Saviola. O 2º golo do FCPorto é em fora-de-jogo. Ainda o jogo estava em 0-1 Sapunaru aos 52' e Christian Rodriguez aos 66´' cometeu falta para 2º amarelo. A perder 0-1 mas a jogar contra 9, teria sido suficiente para o Benfica eliminar o Porto. O FCPorto este ano foi melhor. Mas estes árbitros ajudam a que os recordes sejam ainda melhores.
A melhor maneira de reagirmos à adversidade é reconhecer a superioridade do adversário. E sobretudo devemos acabar com as promessas de champions quando nem sequer conseguimos passar da fase de grupos. Levantar a cabeça, respeitar o adversário e limpar a taça da liga. A seguir temos que ganhar a Europa. É obrigatório.

Conclusões: O que é afinal penalty para o árbitro port(ista)uense???



Este lance em Paços de Ferreira, cortado pelo pé de David Simão, para ASD, é penalty.
Mão de Rolando na área do FCPorto, não é penalty!

Lei XVIII do futebol é muito clara......

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...